Cerca de 35% dos novos executivos falham nos primeiros 18 meses

Dificuldade em estabelecer sólidos relacionamentos com subordinados e colegas de outros departamentos é principal razão de demissões, seguindo pesquisa americana

Cerca de 35% dos profissionais contratados para cargos executivos em grandes e médias empresas americanas falham nos primeiros 18 meses na nova função e acabam demitidos ou levados a pedir demissão. Segundo pesquisa da Right Management Consultants, empresa de recolocação executiva e consultoria organizacional, a dificuldade em estabelecer fortes vínculos com subordinados e colegas de outros departamentos é a principal razão do insucesso desses executivos. Joy McGovern, vice-presidente regional da Right, afirma que, freqüentemente, os novos executivos dedicam-se muito à realização de suas tarefas diárias e se esquecem de reservar algum tempo para conquistar o apoio dos subordinados e a colaboração de executivos de outras áreas.

A segunda razão de fracasso dos novos contratados é a não-realização dos objetivos propostos pelos superiores. Os homens são os que mais falham no primeiro ano e meio de empresa. Sua taxa de insucesso beira os 40%. Já as mulheres são as mais bem-sucedidas, pois a porcentagem de fracasso é de cerca de 30% (se você é assinante, leia ainda reportagem de EXAME sobre porque mesmo as melhores empresas erram).

A pesquisa baseou-se em entrevistas com as áreas de Recursos Humanos de 100 companhias americanas e tratou apenas dos casos ocorridos em 2004. A pesquisa considerou, como fracassado, o profissional que apresentou um desempenho bem abaixo das expectativas, motivando sua saída da empresa.

Segundo a Right, para evitar falhas, o executivo recém-contratado deve, antes de tudo, esclarecer quais são as expectativas de seus superiores para o primeiro ano de atuação. Em seguida, deve se preocupar em estimular as outras pessoas com quem trabalhará para se envolverem na estratégia que está traçando. Depois, o novo profissional precisa garantir o apoio dos colegas de outros setores.

O mais recomendável é que o profissional conquiste o apoio de subordinados e colegas logo nos primeiros meses no cargo, pois isso mostrará a seus superiores sua capacidade de articulação e assegurará as bases para o cumprimento das metas estabelecidas.

Veja, a seguir, as principais razões de insucesso nos primeiros 18 meses de contratação, a partir das entrevistas com as 100 companhias americanas:

  • falha na construção de fortes vínculos com seus subordinados e colegas de outras áreas (61%);
  • incapacidade de alcançar os objetivos mais importantes que lhe foram postos (46%);
  • falta de compreensão da política interna da empresa (37%);
  • incapacidade de formar uma sólida parceria com seus superiores (26%);
  • dificuldade de gerenciar suas próprias tarefas (20%);
  • lentidão em aprender suas tarefas (10%).

    Veja como assegurar o sucesso em um novo cargo ou empresa:

  • esclarecer os resultados que seus superiores esperam no primeiro ano de atuação (55%);
  • relacionar as pessoas necessárias à sua estratégia de atuação e engajá-las em seus projetos (53%);
  • obter o apoio dos colegas de outras áreas (49%);
  • obter a aprovação de seus superiores para um cronograma de resultados esperados (42%);
  • planejar algumas “vitórias” imediatas (41%);
  • determinar como os superiores irão medir seu desempenho (29%).