CEO da GM, Edward Whitacre, anuncia sua renúncia

Executivo será substituído por Daniel Akerson em 1º de setembro

 Washington – O executivo-chefe da General Motors (GM), Edward Whitacre, anunciou hoje sua renúncia do cargo horas depois de a empresa anunciar que durante o segundo trimestre do ano ganhou US$ 1,330 bilhão.

 A GM informou que Whitacre será substituído em 1º de setembro por Daniel Akerson, mas manterá o posto de presidente do conselho de administração da fabricante de automóveis.

Akerson, de 61 anos, faz parte do conselho de administração da GM desde julho de 2009, quando o fabricante saiu da falência depois de receber mais de US$ 50 bilhões do Governo americano.

Anteriormente, Akerson foi diretor-gerente do Grupo Carlyle e presidente e executivo-chefe da empresas de telecomunicações XO Communications e Nextel Communications.

Já Whitacre, de 68 anos, foi nomeado presidente do conselho de administração da GM em 10 de julho de 2009 e em 1º de dezembro desse ano assumiu o cargo de executivo-chefe.

GM detalhou que Akerson também ficará no cargo de presidente do conselho de administração no final de ano “assegurando uma transição suave e um contínuo impulso positivo à companhia”.

“Meu objetivo ao vir para General Motors foi ajudar a empresa a voltar a ter lucro, recuperar sua posição no mercado e preparar está grande companhia para retornar ao sucesso. Estamos claramente caminhando nesse caminho. Há fortes alicerces e me sinto cômodo com minha decisão”, afirmou Whitacre por meio do comunicado.

Akerson disse que “há extraordinárias oportunidades para a nova GM” e que está “orgulhoso de liderar a companhia para esse próximo capítulo”.

“Edward Whitacre estabeleceu os alicerces sobre os quais seguiremos edificando uma grande companhia automobilística”, especificou.

 

Leia mais notícias sobre executivos

Siga as notícias do site EXAME sobre Gestão no Twitter