Cemig vence de leilão por Hidrelétrica de Itaocara

O outro grande projeto licitado no leilão A-5 foi a térmica a gás a ser instalada em Sergipe e ficará sob o comando da Genpower

São Paulo – A estatal mineira Cemig foi a vencedora do leilão pela Hidrelétrica de Itaocara, localizada no Rio de Janeiro. O preço da energia ofertada pela Cemig ficou em R$ 154,99/MWh, praticamente sem deságio em relação ao preço-teto de R$ 155/MWh estabelecido pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

O outro grande projeto licitado no leilão A-5 desta quinta-feira, 30, foi a térmica a gás a ser instalada em Sergipe. O projeto será da Genpower, um grupo fundado em 1993. A página eletrônica da Genpower Energy não cita quem são os controladores dessa empresa. O projeto também tem envolvimento de uma empresa chamada de GPE Sergipe Empreendimentos, não identificada.

O preço da energia a ser comercializada pela térmica ficou em R$ 279/MWh, deságio de 0,7% em relação ao preço-teto de R$ 281/MWh estabelecido pela Aneel.

Os 14 projetos de geração de energia negociados no leilão A-5 desta quinta-feira devem demandar investimentos de R$ 6,062 bilhões, informou a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

A maior parte dos recursos será destinada a Sergipe, com um total de R$ 3,294 bilhões, ou 54% do total. O estado sediará uma nova térmica a gás natural.

O segundo principal destino dos recursos será o Rio de Janeiro, com um total de R$ 889,7 milhões. O montante será investido na construção de hidrelétrica de Itaocara e de uma pequena central hidrelétrica (PCH).

Na sequência aparecem o Mato Grosso do Sul, com R$ 620,25 milhões; Minas Gerais, com R$ 413,73 milhões; Paraná, com R$ 376,53 milhões; Bahia, com R$ 227,56 milhões; Rio Grande do Sul, com R$ 219,62 milhões; e Goiás, com R$ 20,90 milhões.

Em número de projetos, os destaques ficam com o Mato Grosso do Sul e Paraná, cada um com três empreendimentos. O leilão terminou com a contratação de 14 projetos, incluindo a hidrelétrica do Rio de Janeiro, a térmica de Sergipe, três térmicas a biomassa, oito PCHs e uma expansão de usina hidrelétrica já existente.