Cel Lep e outras redes de idiomas vendidas recentemente

O motivo é o potencial de mercado: apenas 2% dos brasileiro falam uma outra língua, enquanto esse percentual em países como México chega a 10%

São Paulo – A compra da rede de idiomas Cel Lep pela companhia de investimentos HIG Capital, anunciada hoje, está longe de ser um fato isolado. Trata-se, na verdade, da quarta aquisições desse tipo anunciada no país recentemente, uma evidência de que o interesse dos grandes investidores por escolas de idiomas só aumenta.

O motivo do setor de ensino de língua estrangeira no Brasil ter se tornado alvo de investidores e grandes empresas é simples: há ainda muito para crescer em faturamento, número de alunos e expansão regional com essas redes. Para se ter ideia do quanto, dados do setor indicam que apenas 2% dos brasileiro falam uma outra língua, enquanto esse percentual em países como México chega a 10%.

Com dois dos maiores eventos esportivos mundiais marcados para acontecer por aqui, Copa do Mundo em 2014 e Olimpíadas em 2016, investir em escolas de idiomas se torna estratégico – tanto para os brasileiros que não falam inglês e espanhol quanto para os investidores que sabem que tem muito que lucrar com isso. Se for por meio de uma escola já com nome e boa base de alunos matriculados, melhor ainda.

Na lista abaixo, relembre quais redes de ensino foram compradas nos últimos meses por grandes empresas.

Cel Lep 

Anunciada hoje, a compra da rede de ensino Cel Lep Idiomas pelo fundo de investimentos HIG Capital foi fechada por um valor não revelado. A rede de ensino tem 17 escolas próprias em São Paulo e outras quatro licenciadas no Estado e em Minas Gerais.

A rede de idiomas terá Fernando Marques Oliveira, diretor da HIG Brasil, como presidente do conselho. “O Brasil tem demanda crescente por cursos de inglês de alta qualidade”, afirmou ele em comunicado à imprensa.

CNA

Na semana passada, o fundo de private equity Actis comprou uma participação na rede de ensino de idiomas CNA com um aporte de 68 milhões de dólares – ou 135 milhões de reais. A informação havia sido antecipada por EXAME na edição especial Melhores e Maiores deste ano.

Fundada em 1970, a CNA conta com 501 unidades espalhadas pelo Brasil e mais de 400.000 kits de material didático vendidos anualmente. No ano passado, o faturamento da rede foi de 651 milhões de reais.

Com 5 bilhões de dólares em ativos sob gestão em países emergentes, o fundo inglês possui 360 milhões de dólares aplicados no setor, incluindo um investimento de 180 milhões de reais na Universidade Cruzeiro do Sul, em São Paulo, feito no começo do ano.


Red Baloon 

Em junho, foi a vez da Abril Educação anunciar a compra de 51% do grupo Red Baloon, que atua no segmento de ensino de inglês para crianças e adolescentes em São Paulo. Pela aquisição, a Abril pagou 29,85 milhões de reais.

De acordo com comunicado, a empresa ainda prevê ainda aporte conjunto de capital de 6 milhões de reais, sendo 3,06 milhões por parte da CAEP –subsidiária da Abril Educação por meio da qual ocorrerá a aquisição– e o restante feito pelos vendedores.

Yázigi

Em novembro de 2010, o grupo Multi, dono das marcas Wizard, Skill, Microlins, SOS e Bit Company, adquiriu também a rede de idiomas Yázigi. Foi a terceira aquisição da Multi desde 2007, quando o grupo, que até então contava com as redes Wizard e Alps, adquiriu a Skill. Em 2010, comprou a Quatrum Idiomas.

A aquisição foi concretizada três dias após a assinatura do acordo da Multi com o fundo de private equity da Kinea, empresa de investimentos alternativos do banco Itaú, que anunciou um investimento de 200 milhões de reais na holding.

O Yázigi foi fundado em 1950 na cidade de São Paulo e conta atualmente com 420 unidades franqueadas. Com cerca de quatro mil colaboradores, a rede ensina mais de 180 mil alunos anualmente, oferecendo cursos de inglês e espanhol.