Carrefour Brasil investirá R$ 1,8 bi em 2019 e aposta em novas parcerias

Companhia tem como meta inaugurar mais 20 pontos do Atacadão em 2019, sendo metade em cidades onde o grupo já atua e a outra em novas praças

São Paulo – O Carrefour Brasil, um dos maiores grupos de varejo alimentar do país, planeja investir 1,8 bilhão de reais em 2019, o mesmo montante desembolsado neste ano, e vê potencial para desenvolver novas parcerias visando acelerar crescimento e digitalização de seus negócios no país.

“Investimos isso este ano e vamos repetir no próximo”, afirmou nesta segunda-feira o presidente do Carrefour Brasil, Noël Prioux, em encontro com jornalistas na capital paulista. Segundo ele, a estratégia do grupo seguirá apoiada em três pilares: expansão de lojas, transformação digital e transição dos consumidores para hábitos alimentares mais saudáveis.

Em 2018, o grupo francês abriu 20 novas lojas do Atacadão, bandeira de atacarejo que vem sendo o principal vetor de crescimento dos negócios no Brasil nos últimos anos, e também sete novas unidades do Carrefour Express e 11 do Carrefour Market.

Para o ano que vem, a meta é inaugurar mais 20 pontos do Atacadão, sendo metade em cidades onde o grupo já atua e o restante em locais onde não há concorrência. “Queremos abrir lojas em novas cidades e consolidar os mercados em que já estamos presentes”, comentou Prioux.

No caso dos formatos de proximidade da marca Carrefour, o executivo ressaltou que a companhia esteve focada nos últimos meses em ajustar o modelo de negócios e já identificou pelo menos 400 lojas em potencial para inauguração nas modalidades Express e Market.

Hoje, a marca Carrefour está presente em 13 estados do país, com 123 lojas Express, sete Market, 40 supermercados Bairro e 101 hipermercados. Já o Atacadão opera em todos os estados e no Distrito Federal, com 164 unidades de autosserviço.

O investimento planejado para 2019 ainda prevê aceleração da transformação digital das operações, com destaque para o comércio eletrônico alimentar e não-alimentar. Prioux ressaltou que a tecnologia vem mudando radicalmente a relação da empresa com os clientes, exigindo uma comunicação mais personalizada e o desenvolvimento de novas soluções.

Entre elas, a companhia começará a testar em dezembro o sistema “Scan and Go” no formato Carrefour Express em São Paulo, por meio do qual o consumidor escaneia os produtos, podendo efetuar o pagamento dentro do próprio aplicativo ou no caixa, um conceito já operado pela Amazon.com nos Estados Unidos.

Ainda de acordo com o presidente, a varejista está aberta a parcerias com startups e pode avaliar eventuais aquisições se houver oportunidade. “As startups te permitem ganhar tempo… Não é possível fazer tudo sozinho”, afirmou.

“Temos a vontade em nível de grupo de fazer parcerias com startups, já temos com Google, Tencent e algumas na Europa também… Isso não vai parar e se pudermos incorporar serviço sem comprar seria interessante”, acrescentou Prioux.

Ele reiterou que parcerias com varejistas de menor porte e estrutura familiar também estão no radar. O executivo ainda revelou que o Carrefour Brasil pode estudar no futuro uma eventual combinação das operações de varejo alimentar com food service, um movimento que já virou tendência em outros mercados mais desenvolvidos.

Às 17:55, as ações do Carrefour Brasil, que não compõem o Ibovespa subiam 2,4 por cento, a 17,30 reais, acumulando valorização de cerca de 16 por cento em 2018, superior ao avanço de pouco mais de 10 por cento do rival GPA este ano.