Carlos Ghosn, da Renault, comparece à Justiça na próxima terça

Detido em 19 de novembro e ainda preso, Ghosn está obrigado a se manter em silêncio, e seus advogados não podem assistir aos interrogatórios

Um tribunal de Tóquio informou que o presidente da Renault, Carlos Ghosn, comparecerá à Justiça na próxima terça-feira (8), às 10h30 (23h30 em Brasília), atendendo a um pedido da defesa.

Nesta sexta (4), os advogados de Ghosn fizeram um pedido especial para que seu cliente pudesse comparecer à corte e tomar conhecimento por parte da Procuradoria, publicamente, dos motivos de sua detenção.

O pedido foi feito com base em um dispositivo especial do artigo 34 da Constituição japonesa. O tribunal não pode rejeitá-lo.

Detido em 19 de novembro e ainda preso, Ghosn está obrigado a se manter em silêncio, e seus advogados não podem assistir aos interrogatórios, nem têm acesso às provas do caso.

Na última segunda, o tribunal de Tóquio decidiu prorrogar sua detenção por mais dez dias, até 11 de janeiro, no âmbito de um novo mandado de prisão por suspeitas de fraude.