Buffett troca garantias especiais por fatia menor no Goldman

Warren Buffett abriu mão de suas chances de se tornar o maior acionista do Goldman Sachs ao converter suas garantias especiais em uma fatia menor no banco

São Paulo – Warren Buffett abriu mão de suas chances de se tornar o maior acionista do Goldman Sachs ao converter suas garantias especiais em uma fatia menor no banco sem custo adicional para a sua Berkshire Hathaway.

Buffet recebeu os títulos como parte de um acordo de 2008 durante o abismo da crise financeira, quando seu investimento no Goldman foi visto como um voto de confiança na companhia.

Sob o negócio, a Berkshire tinha o direito de comprar cerca de 43,5 milhões de ações do Goldman –ou aproximadamente uma fatia de 9 por cento– a um preço de exercício de 115 dólares por ação, em um total de 5 bilhões de dólares.

Nesta terça-feira, o Goldman anunciou um novo negócio que daria à Berkshire uma fatia menor, mas não iria requerer que se comprometesse com qualquer capital para exercer as garantias especiais: a Berkshire iria converter os títulos em ações do Goldman pelo valor da diferença entre o preço de exercício das garantias e a média do preço de fechamento de 10 dias de negociações até 1o de outubro.

Sob os preços de mercado atuais, Buffett receberia 9,2 milhões de ações, ou uma fatia de 2 por cento, fazendo dele o nono maior investidor do Goldman, de acordo com dados da Thomson Reuters.

Para o Goldman, o negócio foi uma oportunidade de evitar a diluição que ocorreria caso Buffett exercesse totalmente as garantias.

“Estamos satisfeitos que a Berkshire Hathaway quer permanecer como um investidor de longo prazo no Goldman Sachs”, disse o presidente-executivo do banco, Lloyd Blankfein, em comunicado.

No mesmo documento, Buffett disse que a Berkshire pretende permanecer um “investimento significativo” no Goldman.