BRF fará mais reajustes de preços para mercado externo

"Mas será estratégico e pontual, a gente olha que país ou região que dá para fazer o repasse", disse o vice-presidente de Finanças da companhia, Leopoldo Saboya

São Paulo – A BRF, maior produtora e exportadora de carne de frango do Brasil, aplicará mais reajustes de preços para o mercado externo para compensar os altos custos com grãos, que se prolongaram até o início deste ano, disse o vice-presidente de Finanças da companhia, Leopoldo Saboya.

“O mercado externo ainda pode ter repasse de preços… Vimos um último repique de preços (de grãos)”, disse o executivo no intervalo de evento em São Paulo, nesta terça-feira. “Mas será estratégico e pontual, a gente olha que país ou região que dá para fazer o repasse.” Segundo ele, a empresa ainda registrou um aumento dos preços de milho nos meses finais de 2012 e início deste ano, entre novembro e janeiro.

“Tivemos um repique do milho… Parecia ser um ponto de máxima, para (o preço) começar a cair, mas ele continuou subindo em novembro, dezembro e janeiro, e começou a mostrar quedas agora em fevereiro e março”, afirmou Saboya.

Em 2012, os preços do milho tiveram um salto de 50 % e os do farelo de soja subiram 97 %, segundo cálculo da BRF.

O aumento nos preços de grãos, principal insumo no setor de aves, fez a BRF elevar os preços de seus produtos tanto no mercado interno como externo no ano passado para compensar os custos maiores.

Saboya ponderou que os custos ainda ficaram dentro das estimativas com as quais a empresa vinha trabalhando.

Ele disse também esperar a manutenção do movimento de recuperação das vendas para o mercado externo, que teve início no segundo semestre do ano passado e vem se estendendo em 2013.

No mercado interno, o executivo da BRF disse que não vê necessidade de novo repasse de preços e afirmou que trabalha com perspectiva positiva para as vendas domésticas, que seguem sustentadas desde o início de 2013, embora esse seja o período mais fraco do ano.

Tradicionalmente, o primeiro trimestre é o mais difícil para as empresas de alimentos, em meio ao período de férias.

“Mas a visão toda continua positiva”, disse Saboya.

A BRF teve no quarto trimestre de 2012 lucro de 563 milhões de reais, bem acima dos 121 milhões de reais em igual período anterior e superior às estimativas de analistas.