Brasileiro se torna novo presidente da Qualcomm

Conhecida pela fabricação de chips para celular e serviços de tecnologia móvel, empresa terá um novo presidente a partir de 4 de janeiro de 2018.

São Paulo – A Qualcomm Incorporated, conglomerado conhecido especialmente pela fabricação de chips para celular e serviços de tecnologia móvel, anunciou que terá um novo presidente a partir do dia 4 de janeiro de 2018: o brasileiro Cristiano Amon.

Por enquanto, o brasileiro é o vice-presidente da Qualcomm Technologies, subsidiária da Qualcomm Incorporated. Ele também preside a área de QCT da Qualcomm, responsável por uma tecnologia para serviços telefônicos chamada de CDMA. Ela possibilita usar múltiplos sinais de transmissão por um único canal e viabiliza, por exemplo, o funcionamento de redes wireless 2G e 3G.

“Em seu novo papel, Amon irá formular e tomar a frente de estratégias fundamentais para a empresa crescer, tanto no core business da Qualcomm quanto em novas oportunidades de negócio. Amon também continuará a liderar a área de QCT, reportando a Steve Mollenkopf, CEO da Qualcomm Incorporated”, afirma a empresa em comunicado.

Formado em engenharia elétrica pela Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), o brasileiro trabalhou anteriormente em empresas como Vésper e Ericsson. Amon entrou na Qualcomm em 1995, no cargo de engenheiro, e depois assumiu diversos cargos nas áreas de tecnologia e de gestão.

Nos últimos cinco anos, o empresário tornou-se responsável pelo negócio de semicondutores da Qualcomm, o que inclui hoje a participação no comitê executivo da empresa e sua presidência da área de QCT.

“Sob sua liderança, Amon posicionou a Qualcomm como líder da indústria em tecnologia móvel, construindo com sucesso o negócio e a estratégia de chips na China; impulsionando o crescimento em mercados adjacentes; e desenvolvendo relacionamentos profundos e estratégicos com consumidores, que foram críticos para o sucesso em longo prazo da companhia. Amon administra o mapa de produtos da área de QTC desde 2008 – um período de crescimento e inovação nuncas vistos na Qualcomm e na indústria”, afirma a companhia, no mesmo comunicado.

Mollenkopf, o CEO da Qualcomm, também não poupou elogios ao brasileiro no mesmo texto. “A combinação única de técnicas e experiências em negócios, engenharia e operações de Cristiano [Amon] o fazem ideal para continuar a liderar as posições de liderança e tecnologia da Qualcomm nas áreas de mobile, internet das coisas, automóveis, computação disruptiva e redes de comunicação – além de liderar a transição para o 5G.”

Os desafios da Qualcomm não são poucos: após rejeitar uma oferta de 130 bilhões de dólares da rival Broadcom, a companhia de chips comprou brigas com a gigante Apple.