Bradesco fará ajuste contábil por perdas no BES

Ajuste representará um prejuízo de R$ 356 milhões no resultado do Bradesco previsto para o terceiro trimestre do ano

São Paulo – O Bradesco, segundo maior banco privado do Brasil, informou nesta segunda-feira que está realizando um ajuste contábil do investimento que possui no Banco Espírito Santo (BES), que equivale a 3,9% do capital social da entidade portuguesa.

O ajuste, necessário segundo a entidade diante “dos recentes eventos envolvendo o BES”, representará um prejuízo de R$ 356 milhões no resultado do Bradesco previsto para o terceiro trimestre do ano.

“O ajuste se dará mediante a provisão de 100% do investimento, com efeito no lucro líquido do terceiro trimestre, no valor aproximado de R$ 356 milhões”, segundo um comunicado da entidade enviado ao mercado.

Portugal anunciou a criação de uma nova entidade, chamada “Novo Banco”, com os ativos de boa qualidade do Banco Espírito Santo (BES) e com uma injeção de US$ 4,9 bilhões de euros do Fundo de Resolução, que começou a funcionar nesta segunda-feira.

Segundo o governo português e o Banco de Portugal (BdP), as perdas serão amortizadas unicamente pelos acionistas e não pelos depositantes ou pelas empresas com créditos do BES.