BR Malls compra shopping Metrô Santa Cruz por R$ 188 milhões

A incorporadora JHSF vendeu o shopping para fazer caixa e tocar outros projetos

A incorporadora paulista JHSF fechou a venda de 95% do shopping Metrô Santa Cruz para a BR Malls, do grupo GP, pela quantia de 188,10 milhões de reais. Conforme adiantou o Portal EXAME, o negócio era necessário para o fortalecimento de caixa da companhia que pretende seguir com projetos de shoppings em Manaus e Salvador.

Além da participação no empreendimento, a oferta compreende também a compra da totalidade dos direitos de exploração do estacionamento do shopping Metrô Santa Cruz.

A princípio, a BR Malls havia encaminhado uma proposta de 222,59 milhões de reais pelo empreendimento. Porém, de acordo com o comunicado divulgado pela JHSF, após conversações, as duas companhias concordaram que, em razão de cédulas de crédito imobiliário e demais ajustes, o preço final a ser pago é de 188,10 milhões de reais.

O contrato de compra e venda deve sair nos próximos quinze dias, cumprindo, de forma integral as obrigações existentes no contrato de concessão.

Localizado na zona sul de São Paulo, o shopping é considerado um dos mais bem sucedidos projetos de centro comercial integrado a estação de metrô. O estabelecimento possui 132 lojas e tem um faturamento superior a 20 milhões de reais.

Na avaliação da corretora Ativa, a operação é positiva, tanto em termos de preço quanto no que diz respeito ao ativo adquirido. A corretora ressaltou, em relatório, o grande movimento da estação Santa Cruz e a importância dos cinemas multiplex da rede Cinemark, localizados dentro do shopping, que registram anualmente as maiores bilheterias entre as 30 operações da rede no Brasil.

Além disso, a Ativa considera que a posição de caixa da BR Malls é bem confortável, com um total de 1,2 bilhão de reais e dívidas de apenas 118 milhões de reais vencendo no curto prazo.

Às 13h00, as ações ordinárias da BR Malls (BRML3, com direito a voto) se valorizavam 3,74%, para 20,80 reais; enquanto, no mesmo sentido, os papéis da JHSF (JHSF3) subiam 2,58%, cotados a 3,18 reais.