Bombardier assumirá controle de vendas para aumentar lucros

A companhia canadense, que também fabrica trens, informou que vai encerrar um antigo acordo com a TAG Aeronautics

Toronto – A Bombardier afirmou que terá mais responsabilidade direta pelas vendas de aeronaves executivas em todo o mundo, em uma tentativa de aumentar os lucros e revitalizar as vendas de aviões lucrativos.

A companhia canadense, que também fabrica trens, informou que vai encerrar um antigo acordo com a TAG Aeronautics pelo qual a unidade TAG Group servia como representante de vendas e distribuidor exclusivo da Bombardier para as famílias de jatos executivos Challenger e Global em 21 países do Oriente Médio e do norte da África.

A Bombardier vai assumir todas as atividades de vendas que eram desempenhadas pela TAG.

A fraqueza em mercados emergentes da América do Sul, da Ásia e do Oriente Médio, que foram cruciais para o crescimento depois da crise financeira global iniciada em 2008, forçaram a Bombardier a reduzir a produção de seus jatos Global, os maiores contribuintes para a receita comercial da empresa.

“Nós estamos adaptando nosso modelo de negócios para capitalizar com oportunidades em mercados em crescimento e vamos nos concentrar na interação direta com nossos clientes”, afirmou o executivo-chefe da companhia, Alain Bellemare, que assumiu o cargo onze meses atrás, em comunicado.

O executivo destacou que o encerramento do acordo com a TAG foi amigável.

A Bombardier também informou que reestruturou alguns acordos para aeronaves comerciais, o que resultou no cancelamento de 24 encomendas firmes, no valor total de US$ 1,75 bilhão a preços de 2015, além do cancelamento de 30 encomendas opcionais.

A companhia afirmou esperar que, em última instância, o movimento reforce sua posição de mercado.

Em consequência desses movimentos, a Bombardier terá despesas especiais antes de impostos de US$ 278 milhões no quarto trimestre de 2015, dos quais cerca de US$ 145 milhões não serão contabilizados em caixa. A companhia planeja divulgar seu balanço em 18 de fevereiro.