BlackBerry abre messenger a outros aparelhos e lança celular

A BlackBerry disse que o novo smartphone Q5 estará disponível no começo de julho em mercados selecionados na Europa, América Latina, Ásia, Oriente Médio e África

Orlando - A <strong><a href="https://exame.abril.com.br/topicos/blackberry" target="_blank">BlackBerry </a></strong>anunciou planos nesta terça-feira de oferecer seu popular sistema de mensagens instantâneas em aparelhos produzidos por rivais e apresentou um novo modelo intermediário de smartphone para crescer em países nos quais sua marca permanece forte.</p>

Buscando mercados nos quais ainda é popular fora da América do Norte, a BlackBerry disse que o novo smartphone Q5 estará disponível no começo de julho em mercados selecionados na Europa, América Latina, Ásia, Oriente Médio e África.

O Q5 terá teclado físico no padrão qwerty, recurso que ainda diferencia os dispositivos BlackBerry da maior dos concorrentes.

A companhia não divulgou faixa de preço do aparelho que virá em várias cores, mas ele é claramente direcionado a um público mais jovem e mais sensível a preços.

“A BlackBerry está claramente tentando replicar o sucesso de seu BlackBerry Curve em mercados emergentes”, disse Adam Leach, analista da Ovum, referindo-se ao modelo que foi popular na Índia e em outros países em desenvolvimento.

A BlackBerry, antes conhecida como Research in Motion, praticamente inventou o conceito do email móvel que pode ser acessado por aparelhos com pequenos teclados operados com os polegares, mas nos últimos perdeu terreno para o iPhone da Apple e para a linha de aparelhos Galaxy da Samsung.

A perda de participação obrigou a empresa a promover grandes cortes de custos e a promover uma profunda reformulação de seus produtos e prioridades.

“Sabemos que não tem sido fácil e que ainda há muito trabalho a ser feito, mas, cara, atingimos terra firme nesta empresa”, afirmou o presidente-executivo da BlackBerry, Thorsten Heins, durante conferência da companhia em Orlando, no Estado norte-americano da Flórida.

As ações da BlackBerry exibiam queda de cerca de 4 % no início da tarde desta terça-feira em meio a avaliações de analistas sobre qual será o preço do Q5. Eles manifestaram dúvidas sobre se a abertura do serviço de mensagens BBM para outros aparelhos será uma ação muito pequena e virá muito tarde para a recuperação da companhia.


O antigo co-presidente-executivo da companhia Jim Basillie já havia proposto a oferta do BBM em iPhones e outros aparelhos rivais em uma ampla mudança na estratégia da empresa antes de ser vencido no assunto. Ele cortou todos os laços com a BlackBerry no início do ano passado.

“É muito bom para mantermos apenas conosco. Chegou a hora de levar o BBM para uma audiência mais ampla”, disse Heins, citando que o serviço de mensagens transmite 10 bilhões de mensagens por dia.

Antes uma maneira única de transmitir mensagens sem a necessidade de envio de SMSs pagos, o BBM agora compete com uma série de produtos de mensagens instantâneas de empresas como Facebook e Apple, entre outras.

Heins afirmou que tem confiança que a BlackBerry poderá oferecer o BBM para mais aparelhos sem perder seus próprios clientes.

Ele afirmou que a companhia vai lançar o Q10, um aparelho topo de linha com um teclado físico qwerty nos Estados Unidos no início de junho. O Q10 já está sendo vendido em vários países, incluindo o Canadá.

“Estamos vendo pouco da BlackBerry para inspirar confiança em uma recuperação em uma indústria hipercompetitiva e que tem rivais formidáveis incluindo Samsung, Apple, Google, Microsoft, Huawei entre outros, com significativamente mais recursos”, disse Amitabh Passi, analista do UBS, em relatório a clientes.