BHP reafirma confiança em crescimento chinês

Alto executivo da mineradora disse que a economia da China pode facilmente crescer até 7,5 por cento ao ano na próxima década

Melbourne – Um alto executivo da mineradora BHP Billiton disse que a economia da China pode facilmente crescer até 7,5 por cento ao ano na próxima década, o que levou a empresa a dizer rapidamente que o comentário não representa uma perspectiva pior em relação ao seu ponto de vista oficial.

Um porta-voz da BHP disse que os comentários do executivo do grupo, Alberto Calderón, não tinham a intenção de sugerir que a BHP havia mudado sua perspectiva sobre a China. A empresa, há duas semanas, estimou um crescimento médio de 7 a 8 por cento durante a próxima década, disse.

“A mensagem principal é que ainda estamos confiantes no crescimento da China e que um crescimento em torno de 7 por cento ainda é esperado”, disse a porta-voz, Eleanor Nichols.

Uma desaceleração econômica na China, maior cliente da BHP, tem pressionado os preços do minério de ferro e carvão, forçando as mineradoras a cortar postos de trabalho, mudar as operações e engavetar projetos de expansão.

Calderón disse em uma conferência de economia em Melbourne que não é preciso muito esforço para segunda maior economia do mundo alcançar entre 6 por cento e 7,5 por cento de crescimento ao longo da próxima década.

“Eu acredito que a China não tem que fazer nada diferente do que fez no passado para continuar crescendo a taxas de crescimento elevadas –6, 7, 7,5 por cento, em média, durante os próximos 10 anos”, disse ele.


A perspectiva da BHP é mais otimista do que a da maior produtora de minério de ferro do mundo, a Vale, que vê a expansão econômica anual de 6-7 por cento, em média, para o resto da década.

Muitos economistas veem a economia da China crescer a uma menor trajetória nos próximos anos, após uma expansão em um ritmo alucinante de mais de 10 por cento ao ano, em média, durante a última década.

“A meta oficial da China, de 7,5 por cento, está mais em linha com o que vemos e seria consistente com os preços das commodities mantendo-se em níveis razoáveis”, disse o economista-chefe da AMP, Shane Oliver.

Os preços do minério de ferro caíram para uma mínima de três anos em 87 dólares a tonelada em setembro, quando a demanda na China caiu. Eles já se recuperaram para 119 dólares a tonelada, mas analistas dizem que a recuperação foi impulsionada principalmente pela reposição de estoques na China, em vez de uma verdadeira recuperação da demanda.

Mesmo em 120 dólares a tonelada, abaixo dos níveis recordes de cerca de 200 dólares, a BHP tem um lucro enorme porque seus custos de produção estão mais perto de 40 dólares por tonelada.

“Eu ainda acho que 120 dólares (a tonelada) é um preço espetacular. Gostaria 180 dólares, mas eu tento não ser muito ganancioso”, disse Calderón.