Bertin afirma não ter mais participação indireta na JBS

O Bertin afirma que efetivou neste ano a venda definitiva de toda a sua participação indireta na empresa

São Paulo – O Bertin publica nota de esclarecimento nesta terça-feira, 25, nos jornais, na qual afirma que efetivou neste ano a venda definitiva de toda a sua participação indireta na JBS, encerrando também a disputa judicial sobre transferências anteriores de cotas do fundo de investimento onde encontrava-se a participação indireta da empresa na JBS.

“Nossa participação indireta jamais teve os mesmos direitos políticos e econômicos garantidos aos demais acionistas minoritários da JBS. Neste contexto, o valor da transação refletiu a condição de subordinação de direitos”, afirma.

A Bertin lembra que a transação societária com a JBS, realizada em dezembro de 2009, resultou na participação indireta do Bertin em uma nova companhia, por meio de cotas de um fundo de investimento que, por sua vez, detinha parte das ações da FB, holding controladora da JBS S.A.

Mitarrej

A empresa fala ainda na nota sobre a Mitarrej. O grupo lembra que em 2007, a Mitarrej apresentou à Cibe, então uma joint venture entre Bertin e Equipav, um projeto para desenvolvimento de 21 usinas termelétricas aptas a participar dos leilões A-3 e A-5, que ocorreriam em 2008.

Para tanto, explica, caso os projetos fossem bem sucedidos no leilão, caberia à Mitarrej uma participação minoritária no empreendimento.

Segundo a empresa, findo o leilão de 2008, os projetos foram vencedores, em muitos casos sem propostas concorrentes.

Conforme o Bertin, o elevado capex e falta de capacidade financeira de parte dos acionistas levaram o processo de cisão da Cibe e à saída do grupo Equipav.

Restou porém, a participação da Mitarrej apenas nos projetos de energia vencedores do leilão de 2008.

“Considerando que a Mitarrej não havia realizado, e jamais realizou, nenhum aporte de recursos nos projetos e também que sua permanência afastava potenciais financiadores, em 2012 definimos as condições para negociação de uma possível saída da Mitarrej dos projetos, mediante determinadas condições contratuais que não foram cumpridas e que ora são alvo de disputa judicial”, informa.

Esse disputa, segundo a nota da Bertin, segue em andamento desde 2012 no Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo.

Nesse período, informa, por meio de decisão, em caráter liminar dada em 1ª Instância, houve decisão pela penhora de cotas que o grupo havia negociado com a J&F Investimentos.

“Por meio de recurso cabível, tal decisão foi contestada e aguarda julgamento da Câmara especializada em direito empresarial no Estado de São Paulo”, afirma a nota.

Segundo o Bertin, o processo judicial segue seu curso, ainda sem decisões definitivas, cabendo às partes o amplo direito de defesa de seus interesses.

CSA e Banco Ficsa

A nota de esclarecimento do Bertin afirma ainda que a empresa jamais teve qualquer relação com a CSA e ou com o Banco Ficsa. Segundo a empresa, as negociações entre Cibe e Mitarrej foram conduzidas pelos executivos da Cibe à época e da Mitarrej e, caso este tenha contado com assessoria de terceiros, não cabia ao Bertin comentar e ou avaliar a pertinência.