Banco Central decreta intervenção no Banco BVA

Segundo BC, instituição teria situação econômico-financeira comprometida

São Paulo – O Banco Central declarou na manhã desta sexta-feira intervenção no banco BVA “em decorrência do comprometimento da sua situação econômico-financeira e do descumprimento de normas que disciplinam a atividade da instituição”. O banco é controlado por José Augusto dos Santos, seu fundador, e pelo financista Ivo Lodo.

Segundo o BC, o BVA mantém apenas 0,17% dos ativos do sistema financeiro e 0,24% dos depósitos. A instituição conta com sete agências distribuídas entre São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais. Baseado em São Paulo, Eduardo Félix Bianchini, gerente técnico regional do Banco Central, foi nomeado interventor da instituição.

Sem dar informações mais detalhadas, o BC afirmou que está apurando as responsabilidades no caso nos termos de suas competências legais de supervisão do sistema financeiro. “O resultado das apurações poderá levar à aplicação de medidas punitivas de caráter administrativo e a comunicações às autoridades competentes, observadas as disposições legais aplicáveis”, completou, em nota.

A partir de hoje, os bens dos controladores e dos ex-administradores do banco ficam indisponíveis. Procurado por EXAME.com, o BVA afirmou que não irá comentar.

Um levantamento divulgado no começo de setembro no site do Banco Central apontava que a instituição era a única com índice de Basileia abaixo dos 11% exigidos pelo BC. Na época, o percentual estava em 9,5%.

Em sua defesa, o banco sustentou pouco depois que a injeção de 250 milhões de reais no caixa da instituição teria elevado seu índice para 12,1%.

História

O BVA iniciou suas atividades como banco comercial em janeiro de 94, especializado em concessões de crédito para o segmento middle market e em operações estruturadas.  O BVA também gere ativos e presta serviços de assessoria financeira através da sua controlada, a Vitória Asset Management, além de possuir participação na Realesis Brasília Empreendimentos Imobiliários, que detém direito de exploração indireta do Boulevard Shopping Brasília.

No ano passado, o BVA teve lucro líquido de 63,2 milhões de reais, queda de 29,3% ante o resultado de 2010. Seus ativos, por outro lado, subiram de 4,5 bilhões para 6,7 bilhões em 2011, com o segmento de crédito respondendo por 67% deste total. Quase a totalidade dos empréstimos foram tomados por pessoas jurídicas em operações de capital de giro. No balanço, o banco afirmou ser “seletivo no processo de concessão de crédito e conservador na alocação de provisão”.

Até o fim de 2011, a instituição contava com 403 funcionários. 

* Atualizada às 10h06