Azul quer faturar R$ 50 mi com agência de viagens

São Paulo – Para atrair mais passageiros que viajam a lazer, a Azul Linhas Aéreas está lançando a Azul Viagens, empresa que oferecerá, além de pacotes turísticos, a possibilidade de o cliente contratar serviços como aluguel de carros e passeios. O empresário David Neeleman, fundador da companhia aérea, espera que esta unidade de negócios movimente R$ 50 milhões em seu primeiro ano de operação. “Quando estivermos operando todos os destinos, queremos que 10% da nossa receita venha da área de viagens”, afirmou hoje o executivo.

Ainda que o lançamento da Azul Viagens tenha sido formalizado hoje, o serviço está sendo explorado desde o fim de abril para as cidades de Fortaleza (CE), Salvador (BA) e Porto Seguro (BA). Nas próximas semanas, os pacotes de viagens também se estenderão a Natal (RN), Porto de Galinhas (PE) e Maceió (AL). A meta, até o fim do ano, é oferecer pacotes para as principais cidades onde a companhia aérea opera. A empresa promete um preço médio, por pessoa, de R$ 699,00, valor que inclui transporte aéreo, traslados e hotel. Segundo Neeleman, a Azul já fechou acordos com 70 hotéis.

“Para Porto Seguro, temos um voo que parte do aeroporto de Congonhas todo sábado, outro que sai de Viracopos (em Campinas-SP) e um terceiro de Belo Horizonte (MG). Em julho, teremos voos diários, a partir de Campinas, para Porto Seguro”, informou. A empresa também quer lançar, a partir de julho, a rota diária Campinas-Belo Horizonte-Porto Seguro. “Há muito espaço para se explorar nas viagens a lazer. No Brasil, elas representam apenas 30% dos voos, enquanto nos Estados Unidos mais de 75% dos passageiros viajam a lazer”, comentou.

Financiamento

Segundo Neeleman, com a ferramenta de internet que a Azul está lançando, o cliente pode fazer sozinho todas as reservas referentes à viagem. Ele não revela quanto foi investido no sistema, mas destaca que, ainda que sua prioridade seja o comércio pela internet, a Azul colocará a venda de pacotes à disposição do público em suas lojas. “Vamos ter lojas em todos os pontos de onde saem os ônibus que levam nossos passageiros aos aeroportos. Mas a ideia é privilegiar a venda eletrônica. Em dez anos, as lojas serão uma coisa do passado.”

Além dos pacotes turísticos, a Azul quer conquistar clientes via oferta de crédito. Em breve, a empresa lançará o Azul Crédito, por meio do qual, com recursos próprios, a aérea parcelará a compra de passagens por seus clientes. Hoje, os bilhetes da Azul podem ser divididos no cartão de crédito em dez vezes. “Mas preferimos receber direto do cliente em quatro, cinco ou seis vezes, do que receber em dez da operadora do cartão. O risco é muito baixo”, opinou.

Fretamento

Recentemente, a Azul anunciou que está oferecendo voos fretados para Argentina, com destino a Buenos Aires e Bariloche. Questionado se a criação de uma agência de viagens afeta o relacionamento com as operadoras clientes, Neeleman disse que continuará com o trabalho de fretamento, “mas esse não será o foco”. Segundo ele, a chegada de novas aeronaves permitirá à Azul oferecer seus aviões a outras companhias, inclusive a agências concorrentes, como TAM Viagens.

A empresa terá 18 aeronaves em julho. A meta é fechar 2010 com uma frota com 21 aviões. Com os cerca de R$ 1 bilhão que vai investir até 2011, a Azul Linhas Aéreas quer ter 35 aeronaves. A companhia não tem, no curto prazo, planos de lançar voos internacionais regulares. “Não deve ser nem este ano, nem em 2011”, reforçou o fundador da companhia aérea. É que a intenção do grupo, conforme o executivo, é “dominar os mercados” onde a empresa atua. “Não temos interesse em operar com cidades onde já há muitas rotas. Queremos explorar novos mercados e ser o número 1 em market share (participação de mercado) onde estamos.”

No planejamento de rotas da Azul está a oferta, a partir de agosto, de três voos diários diretos de Campinas a Brasília. A empresa também se prepara para oferecer, duas vezes por dia, um voo direto entre Porto Alegre (RS) e Belo Horizonte (MG).