As lições do pôquer para a gestão de empresas

Assim como administrar um negócio, jogar pôquer exige muita estratégia. Veja as lições que o esporte tem a ensinar para a gestão:

São Paulo – Analisar o comportamento dos concorrentes, prever e antecipar o futuro, estar disposto a correr riscos. Estas características poderiam muito bem descrever um homem de negócios, mas também estão relacionadas aos bons jogadores de pôquer.  

“O pôquer é um jogo de informações variáveis. Algumas estão na mão de quem toma a decisão (se quer apostar ou não), outras não (quais cartas vão aparecer, como seus oponentes irão reagir). É a mesma coisa no comando de uma empresa, diz Cristiano Torezzan, professor da recém-lançada disciplina “Fundamentos do Pôquer”, da Faculdade de Ciências Aplicadas da Universidade de Campinas (Unicamp). 

Veja algumas lições do pôquer que podem ajudar na gestão de uma companhia (se você quer entender mais sobre o jogo, vá para a página 3): 

1  Traçar um plano estratégico e ter paciência para conquistar os resultados

Qual é a empresa que alcança o sucesso sem um plano estratégico e investimentos a longo prazo? No pôquer não é diferente. O objetivo de um jogada é coletar as fichas dos adversários. Os jogadores são eliminados quando não têm mais fichas para apostas. Cada jogador recebe a mesma quantidade de fichas e pode gastá-las da forma que preferir.

“Desta forma, é preciso elaborar uma estratégia. Você pode optar por pagar as fichas uma a uma, mas para isso terá de ter muita paciência. Ou pode jogar em bocados, o que é mais arriscado. Você tem que fazer aquilo que acredita que é certo em cada situação e não esperar um resultado de curto prazo, como nos negócios”, afirma Torezzan.

2  Avaliar e assumir riscos

No início de um jogo de pôquer, dois jogadores precisam apostar antes mesmo de saber quais quartas possuem. Os outros, têm o poder de decidir se querem jogar aquela mão ou não, se querem pagar a aposta inicial ou mesmo aumentá-la.


“É uma pancada de decisões que devem ser negociadas. Se eu tenho uma mão forte, quero apostar para que você coloque mais fichas. Se acho que meu jogo está ruim e quero que você desista, faço uma aposta maior”, diz Torezzan.

Mas tudo tem um risco: as cartas só são abertas se ninguém desiste ao fim de cinco rodadas de negociação. Se um jogador desiste antes disso, perde tudo o que já tinha apostado.

“Percebemos que em 75% das mãos, as pessoas desistem antes de mostrar as cartas. Ou seja: a estratégia prevalece sobre a sorte”, explica o professor. Quanto aos negócios, é consenso que quem não corre riscos, também não inova. 

3 Gerenciar recursos disponíveis e administrar perdas e ganhos que não estava no planejamento

“Se eu tenho 10 mil fichas, pagar uma aposta de 300 é tranquilo. Mas se eu tenho 1500, já é muito para o meu capital”, exemplifica Torezzan. “Às vezes é melhor desistir e perder o que já jogou do que arriscar o restante que eu tenho. É como investir em um projeto que não dá lucro. Talvez seja melhor parar de alimentá-lo, ou talvez a única forma de recuperar as perdas, é investindo mais ainda”.

4 Identificar oportunidades para investir e saber negociar

É como obervar o movimento do mercado e suas tendências antes de comprar ações de uma empresa. “Às vezes, você acha que está com um jogo muito bom, mas as cartas ainda não foram mostradas. Um de seus oponentes aposta 300, outro 700 e outro 3 mil. Quando você vê essa aposta alta demais, pode perceber que talvez o seu jogo não seja tão bom assim. Uma coisa é ninguém querer jogar antes, outra é jogar com pessoas que parecem mais fortes e outra jogar com quem parece estar mentindo.

5 Estar disposto a conhecer pessoas e aprender o tempo todo

Um líder que não sabe lidar com outas pessoas – seja um funcionário, um fornecedor, ou um concorrente –, não levará sua empresa a lugar nenhum. No pôquer não é diferente. “Cada jogada traz um oponente diferente. Cada pessoa reage de uma forma: algumas têm uma aversão natural ao risco, outras o acham interessante. Se eu fizer uma aposta alta, alguns podem desistir, outros pode se sentir desafiados. É preciso aprender a reconhecer essas atitudes”, diz o professor.


Entenda o pôquer

Existem várias modalidades de pôquer, mas a mais conhecida e mais jogada pelo mundo é a Texas Hold’em. Primeiramente, para compreender esse estilo, é preciso entender o ranking de mãos, ou seja, a combinação de cartas que vence uma jogada. A ordem é a seguinte, das maiores para as menores:

1. Royal straight flush: Cinco cartas do mesmo naipe, em sequência do 10 ao A

2. Straight flush: cinco cartas do mesmo naipe, em sequência, independente do valor

3. Quadra: quatro cartas do mesmo valor

4. Full house: uma trinca (três cartas do mesmo valor) e um par (duas cartas do mesmo valor)

5. Flush: Cinco cartas do mesmo naipe

6. Sequência: 5 cartas em sequência, idependente do naipe

7. Trinca: três cartas do mesmo valor

8. Dois pares: dois pares de cartas do mesmo valor e uma outra qualquer

9. Par: duas cartas do mesmo valor e outras três diferentes

10. Carta alta: quando ninguém possui pelo menos um par, quem estiver com carta mais alta na mão vence o jogo

O jogo começa com todos os jogadores recebendo duas cartas fechadas (não mostradas). Eles devem combinar essas cartas com outras comunitárias abertas na mesa. No fim da mão, se dois ou mais jogadores permanecerem na disputa, as cartas são reveladas e aquele com a melhor mão de 5 cartas ganha as fichas dos adversários. A combinação das cinco cartas pode ser feita de qualquer forma utilizando as duas cartas fechadas do jogador e as cinco cartas comunitárias.

Passo a passo: Sem ver as suas cartas, dois jogadores fazem apostas forçadas “small blind”  (SB) e “big blind” (BB). Normalmente, o BB é o dobro do SB. No pôquer, as fichas fichas utilizadas nas apostas não tem valor real. Cada jogador paga uma inscrição fixada pelo torneio e recebe uma quantidade de fichas pré-determinadas para utilizar.

Os jogadores que fazem essas apostas forçadas são determinadas pelo botão do dealer, que gira na mesa no sentido horário. Quem está à direita do dealer paga o small blind, e quem está à direita, paga o big blind. Na mão seguinte o botão se moverá uma posição e outros jogadores farão as apostas iniciais.

Podem ocorrer até quatro rodadas de apostas:

Preflop: Acontece depois que os jogadores receberam as duas cartas fechadas e antes das cartas comunitárias serem distribuídas. O primeiro jogador a agir é o que está sentado à esquerda do big blind. Em sentido horário, cada um dos jogadores tem a opção de desistir da mão (fold), pagar a aposta (call)  ou aumentá-la (raise). Quando um jogador aumenta uma aposta, ele força qualquer outro a pagar pelo menos a mesma quantidade de fichas para continuar no jogo.  Quando a primeira rodada termina, as três primeiras cartas comunitárias (chamadas de flop) são abertas.

Flop: A segunda rodada é iniciada com a ação do jogador que está à esquerda do dealer. Se ninguém tiver feito uma aposta, cada jogador pode optar por não tomar nenhuma atitude (dar um check) ou apostar um valor à sua escolha. Se ele escolher apostar, os próximos serão obrigados a pelo menos igualar a aposta para continuar na mão. 

Turn: Assim que esta rodada estiver completa, a quarta carta comunitária (chamada turn) é virada e uma nova rodada de apostas é feita.

River: Ao fim da terceira rodada de apostas a quinta carta (o river) também é mostrada na mesa e uma última rodada de negociação é feita. 

Após o último ciclo de apostas, se ainda restarem jogadores na mão, as cartas fechadas são reveladas e o jogador com a melhor combinação leva todas as fichas e é o fim de jogo. A maioria das mãos de pôquer terminam antes deste estágio final porque os jogadores optam por desistir da mão em alguma das fases de apostas. Neste caso, o jogador que fez a última aposta antes dos demais desistirem fica com as fichas e não precisa mostrar suas cartas. 

Para compreender na prática, veja o vídeo:

//www.youtube.com/embed/e5Ykyi8jLEg