Aprovado contrato de carnalita da Vale com Petrobras

Conselho da Administração da Vale aprovou o arrendamento para a exploração de reservas do minério em Sergipe

São Paulo – O Conselho de Administração da Vale aprovou hoje o contrato com a Petrobras de arrendamento para a exploração de reservas de carnalita, minério do qual se extrai o potássio, em Sergipe, de acordo com uma fonte próxima à negociação. O presidente da mineradora, Murilo Ferreira, teria feito uma ligação para o governador de Sergipe, Marcelo Déda, que está em Brasília, para informá-lo sobre a aprovação.

Com isso, a Vale poderá dar continuidade aos seus planos de crescer no segmento de fertilizantes no Brasil. O “Projeto Carnalita”, a ser desenvolvido pela Vale, envolvendo aportes de US$ 4 bilhões, dependia do aval da petrolífera, já que a área da reserva é de propriedade da estatal. O Conselho da Petrobras também precisará aprovar o contrato.

Hoje, a Vale já produz potássio em Sergipe, em Taquari-Vassouras. O nitrogênio, fósforo e o potássio são os três nutrientes básicos para a composição de fertilizantes, e o Brasil é dependente da importação de todos eles. O objetivo do governo é que, com o aumento da produção da Vale, a dependência externa por fertilizantes seja menor.

A meta da mineradora é chegar a uma produção de 3,4 milhões de toneladas de potássio em 2015. Para este ano, a Vale projeta alcançar uma produção de 650 mil toneladas. De acordo com o plano de investimentos da Vale divulgado no fim do ano passado, do montante de US$ 21,4 bilhões para 2012, 9,6% serão destinados ao segmento de fertilizantes.