Apple e Samsung respondem a acusação de propaganda enganosa

As duas companhias estão sendo acusadas pela Proteste de venderem produtos com armazenamento abaixo do anunciado

São Paulo – Um dia após a Proteste entrar com uma ação civil contra a Apple e Samsung por oferta enganosa na Justiça de São Paulo, as duas companhias deram seu lado da história sobre a acusação de venderem tablets e smartphones com armazenamento (GB) abaixo do anunciado.

Procurada pela redação, a Samsung disse por meio de nota na tarde desta quarta-feira, 22, que vão “analisar” e “tomar as medidas necessárias”, assim que a empresa for notificada judicialmente.

Sobre a acusação em si, a empresa sul-coreana comentou: “A Samsung reforça que mantém e sempre manteve uma comunicação transparente e verdadeira com seus clientes, prova disso é o aviso disponível em nosso website sobre esse tema: “*Tamanho da memória – Parte da memória é ocupada pelos aplicativos e sistema operacional”.

Por sua vez, a Apple enviou uma imagem de seu site por e-mail afirmando que a capacidade de armazenamento real do aparelho “é menor” após a formatação.

Questionada sobre qual seria a capacidade efetivamente disponível de armazenamento, a assessoria de imprensa da Apple preferiu não se posicionar.

Vale lembrar que a reclamação da Proteste acontece porque os aparelhos são anunciados com o armazenamento “cheio”, mas na verdade apenas uma parte é, de fato, livre para o usuário.