Aos 41 anos, herdeiro da OAS morre após sofrer infarto em depoimento à PF

Empresário havia sido internado no começo de julho após sofrer um infarto durante um depoimento na Justiça Federal de Curitiba

O herdeiro do grupo de construção OAS, César Mata Pires Filho, morreu aos 41 anos nesta quinta-feira, em São Paulo. Ele foi internado no dia 8 de julho, depois que sofreu um infarto durante um depoimento na Justiça Federal de Curitiba.

Mata Pires Filho passou mal ao prestar esclarecimentos no âmbito da operação Lava Jato, quando caiu e bateu a cabeça em uma mesa. Levado ao hospital, passou por cirurgia e foi transferido para São Paulo, onde acabou não resistindo novamente a complicações no coração.

O empresário era investigado por supostamente pagar propinas ao PT para a construção de um prédio da petroleira Petrobras em Salvador, na Bahia. Ele chegou a ser preso em 2018, mas foi solto mediante fiança de mais de 28 milhões de reais, e tentava um acordo de delação premiada com a Polícia Federal.

Segundo a PF, os contratos do empreedimento foram superfaturados, de modo que houve pagamento de pelo menos 68 milhões de reais a políticos do PT e diretores do fundo de pensão dos funcionários da Petrobras, o Petros.

Mata Pires Filho é filho do fundador do grupo OAS, o empresário baiano César Mata Pires, que morreu em 2017, também vítima de um infarto.