Análise de fusão LAN-TAM no Chile pode terminar até junho

Há possibilidade de um possível atraso na associação, após o Tribunal de Defesa da Livre Concorrência ter decidido seguir adiante com sua investigação

Santiago – O processo de análise da fusão entre a chilena LAN e a brasileira TAM poderá ser concluído entre maio e junho, embora o prazo médio deste tipo de investigação seja de seis meses a um ano, disse o presidente do tribunal antitruste do Chile.

A LAN, uma das maiores empresas aéreas da América Latina, admitiu um possível atraso na associação com a TAM, após o Tribunal de Defesa da Livre Concorrência ter decidido seguir adiante com sua investigação.

“É factível (terminar a investigação entre maio e junho), mas não é certo. Depende do que ocorrer no processo. O que eu posso dizer é que vamos tentar fazer isso o mais rápido possível”, disse o presidente do órgão regulador chileno, Tomas Menchaca, de acordo com o jornal El Mercurio.

Segundo ele, processos deste tipo duram normalmente entre seis meses e um ano. Antes, o tribunal havia fixado prazos entre seis e nove meses.

O tribunal rejeitou na quinta-feira pedido da LAN para revisar o acordo extrajudicial de fusão com a TAM, criando a décima empresa aérea do mundo em número de passageiros.

TAM e LAN anunciaram em agosto passado um acordo de troca de ações para criação da Latam Airlines, maior companhia aérea da América Latina. No Brasil, a operação recebeu o sinal verde da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), mas ainda precisa passar pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

Entretanto, uma associação de consumidores no Chile, a Conadecus, apresentou no final de fevereiro uma contestação ao tribunal, que ordenou automaticamente a suspensão do processo de fusão enquanto analisa o caso.