Americanas quer ampliar canais de venda com compra da Shoptime

<EM>Aquisição ocorre no momento em que a Lojas Americanas obtém um salto de 100% da receita bruta da Americanas.com e uma queda de 4,2% do faturamento das lojas convencionais</EM>

Em uma estratégia de ampliação de canais de venda, a Americanas.com, braço de vendas online da Lojas Americanas, comprou a TV Sky Shop S.A., proprietária do canal de TV paga Shoptime e do site de comércio eletrônico e serviço de vendas por catálogo homônimos. Em princípio, a compradora considera vantajoso conservar a marca Shoptime. “Mas isso será avaliado de tempos em tempos”, diz Roberto Martins, diretor financeiro e de relações com o mercado da Lojas Americanas.

A Americanas.com vai pagar, em dinheiro, no máximo 126,7 milhões de reais pela Shoptime, em três prestações. A primeira parcela foi quitada nesta quinta-feira (19/8). A segunda e terceira serão acertadas no final de setembro e de outubro respectivamente, com as eventuais deduções apuradas durante a due dilligence (a fase prévia de extensa auditoria legal, contábil e financeira da empresa adquirida). O valor corresponde a 89% da estimativa de receita líquida da Shoptime em 2005. No ano passado, a empresa faturou 187 milhões de reais, dos quais metade veio de vendas online.

Para Martins, a compra traz inúmeras possibilidades de sinergia. “Além dos assinantes de TV a cabo, a Shoptime atinge 14 milhões de domicílios equipados com antena parabólica”, afirma o executivo. Em localidades em que a instalação de uma loja é inviável, a Americanas poderá instalar quiosques com televisão e computador. “Também podemos instalar televisores em nossas lojas convencionais, ou seja, as possibilidades de interação ficam muito mais ampliadas.” A empresa também pretende aproveitar a experiência da equipe da Shoptime em produção de programas televisivos para criar filmetes para internet.

Resultados

A aquisição é anunciada em um momento em que a empresa registra um lucro líquido de 115 milhões de reais no primeiro semestre do ano, ante 11 milhões em mesmo período do ano passado. Houve um salto de 100% da receita bruta da Americanas.com e uma queda de 4,2% do faturamento das lojas convencionais no primeiro semestre. O desafio da Americanas, diz Martins, é compensar a forte deflação de itens importantes no mix de produtos oferecidos. Aparelhos de DVD, por exemplo, custavam cerca de 500 reais no ano passado e agora saem por 239 reais.