Ambev reporta lucro líquido de R$ 200 mil no terceiro trimestre

No acumulado dos primeiros nove meses de 2017, o lucro chega a R$ 4,212 bilhões, retração de 46,5%

São Paulo – A fabricante de bebidas Ambev reportou um lucro líquido de R$ 200 mil no terceiro trimestre de 2017, montante inferior ao lucro de R$ 3,061 bilhões apurado no mesmo período do ano anterior. Este resultado é atribuído à participação dos controladores.

No acumulado dos primeiros nove meses de 2017, o lucro chega a R$ 4,212 bilhões, retração de 46,5%.

Já o lucro consolidado registrou um recuo de 95,7% no terceiro trimestre na mesma base de comparação, alcançando R$ 136,5 milhões.

O lucro da Ambev foi afetado por um ajuste tributário não recorrente de R$ 2,974 bilhões relacionado ao Programa Especial de Regularização Tributária (PERT).

Em relatório de resultados, a administração da companhia também informou o lucro líquido ajustado a itens não recorrentes. No terceiro trimestre, o lucro ajustado somou R$ 3,236 bilhões, alta de 1,2% na comparação com igual período de 2016.

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado cresceu 13,8% no trimestre, totalizando R$ 4,551 bilhões de julho a setembro. O ajuste exclui efeitos de itens não recorrentes. Em nove meses, o Ebitda ajustado acumula R$ 12,851 bilhões, redução de 4,6%.

No terceiro trimestre, a receita líquida da companhia somou R$ 11,362 bilhões, alta de 8,4% na comparação anual. A receita em nove meses chega a R$ 32,872 bilhões, crescimento de 1,4% na comparação anual.

Provisão

A Ambev registrou uma provisão para Imposto de Renda Pessoa Jurídica e Contribuição Social (CSLL) em razão da adesão da companhia ao Programa Especial de Regularização Tributária (PERT), conhecido como novo Refis. Esse efeito no trimestre foi de R$ 2,974 bilhões.

Em razão desse efeito não recorrente, a alíquota efetiva de impostos aumentou no trimestre: era negativa em 32,4% no terceiro trimestre de 2016 e passou para 95,3%. Excluindo esse efeito, a alíquota efetiva teria sido negativa em 6%, afirmou a companhia, impulsionada por um maior benefício de juros sobre capital próprio.

A Ambev informou em setembro desse ano que aderiu ao programa especial de regularização tributária. O valor total a ser pago é de aproximadamente R$ 3,5 bilhões, dos quais cerca de R$ 1 bilhão será pago em 2017 e o restante em 145 parcelas mensais a partir de janeiro de 2018, acrescido de juros.

A adesão ao programa afetou ainda o resultado financeiro líquido da Ambev. A empresa reportou no terceiro trimestre despesa de R$ 674,9 milhões. Esse montante inclui despesa financeira não recorrente de R$ 141 paga como resultado da adesão ao PERT.

Mesmo com esse impacto, a despesa financeira registrada no trimestre é inferior à do mesmo período de 2016, quando a companhia reportou resultado financeiro negativo em R$ 722,6 milhões. A melhora ocorreu em razão de uma menor despesa com juros e menores perdas com derivativos. A Ambev afirmou que as perdas com instrumentos derivativos diminuíram 88,4%, como consequência de menores custos de carrego e resultados positivos do equity swap.

Endividamento

A Ambev encerrou o terceiro trimestre de 2017 com uma dívida consolidada de R$ 3,329 bilhões, dos quais R$ 2,169 bilhões estavam em moeda estrangeira e R$ 1,160 bilhão em moeda local. A companhia registrou ainda um caixa total de R$ 8,340 bilhões, resultando em um caixa líquido de R$ 5,018 bilhões.