Ambev espera melhora nas vendas em 2017

Para o presidente da companhia, Bernardo Paiva, uma "inflexão radical" não é esperada, mas ele enxerga uma recuperação mês a mês e espera um 2017 melhor

São Paulo – A Ambev não acredita em um movimento muito rápido de reversão da crise que levou à queda do volume de cerveja vendido no Brasil.

Para o presidente da companhia, Bernardo Paiva, uma “inflexão radical” não é esperada, mas ele enxerga uma recuperação mês a mês e espera um 2017 melhor.

“Vemos o volume evoluindo e temos iniciativas para chegar em 2017 aproveitando um momento do Brasil que deve ser melhor”, disse o executivo.

Paiva participa do Dia de Responsa, iniciativa da Ambev de conscientização sobre consumo responsável de bebidas alcoólicas nos bares.

Questionado sobre o momento mais duro sobretudo para as vendas em bares diante da retração do consumo fora de casa pelos consumidores, Paiva afirmou que a companhia tem iniciativas para auxiliar os estabelecimentos a melhorar a receita, e citou parcerias para redecorar e dar suporte aos locais.

Ao mesmo tempo, a companhia tem aproveitado o cenário de maior sensibilidade dos consumidores a preço para estimular a venda de garrafas retornáveis em supermercados.

“O volume vendido nos supermercados, que antes se concentrava em latinhas, tem migrado para as garrafas retornáveis”, disse. “Num momento macroeconômico desafiador, levamos benefícios por um preço menor”, completou o executivo.

Na ocasião, a Ambev ressaltou ainda seu plano de ampliar as vendas de bebidas com baixo teor alcoólico ou sem álcool. A meta é ter 20% do volume global vindo dessas fontes.

No Brasil, a companhia espera intensificar a distribuição da Brahma Zero. Segundo Paula Lindenberg, vice-presidente de Marketing, a companhia espera inserir a marca em novos pontos, como estabelecimentos em que ela possa ser consumida durante o almoço.

“Tem muito espaço ainda com a Brahma Zero e temos projetos para avançar com a categoria”, declarou.