Amazon sonda escritores no Brasil

A empresa ignorou as editoras e está negociando direto com os autores

São Paulo – A Amazon está mesmo empenhada em chegar com tudo no mercado brasileiro. Depois de começar a operar seu serviço de computação na nuvem no Brasil e na América do Sul, a empresa começa a negociar a venda de livros nacionais.

De acordo com a coluna Radar, assinada pelo jornalista Lauro Jardim, na revista Veja, as negociações com as editoras brasileiras não foram satisfatórias e a companhia está tentando negociar com os próprios autores. Esta seria a estratégia adotada pela Amazon nos Estados Unidos.

O escritor Augusto Cury, que já vendeu mais de 15 milhões de exemplares de títulos de autoajuda, teria sido procurado pela empresa, sem passar por sua editora, a Planeta. O autor, no entanto, não chegou a um acordo.

Outro brasileiro, no entanto, já tem um acordo com a empresa. Paulo Coelho disponibilizou seus livros para serem vendidos na Amazon brasileira. As obras têm versões em português, espanhol, francês e alemão disponíveis, segundo a coluna.