Amazon foca hardware em tablets baratos e TVs

A Amazon estreitará suas ambições em hardware para dispositivos de baixo custo como tablets e plugues para TVs inteligentes

A Amazon.com Inc. estreitará suas ambições em hardware para dispositivos de baixo custo como tablets e plugues para TVs inteligentes, um ano depois que seu smartphone, o Fire, fracassou e fez com que as ações da empresa despencassem.

A varejista web apresentou nesta quinta-feira sete produtos que estarão disponíveis para a temporada de compras de fim de ano, entre eles uma varinha ativada por comandos de voz que transforma a televisão em um assistente pessoal.

A empresa com sede em Seattle também anunciou um tablet de sete polegadas que será vendido a menos de US$ 50, disponível em pacotes de seis unidades com desconto por volume, como as latas de cerveja.

O CEO Jeff Bezos vê esses dispositivos como uma forma de entrar nas casas de mais pessoas e transformá-las em compradoras fiéis da Amazon. Seu negócio básico continua sendo a venda on-line de bens e a empresa adicionou streaming de vídeos e música à sua assinatura Amazon Prime, de US$ 99 por ano, que oferece descontos para as entregas.

A Amazon não se preocupa em ganhar dinheiro com os dispositivos desde que eles tornem os compradores mais propensos a comprar na empresa.

“Geralmente fixamos preços para os nossos produtos no ponto de equilíbrio”, disse David Limp, vice-presidente sênior de dispositivos da Amazon, durante uma demonstração de produtos.

“A nossa tese é: se os clientes os usam, nós desenvolvemos a nossa rentabilidade a partir disso”.

Foco nos serviços

Os novos dispositivos competirão com uma linha de produtos apresentada na semana passada pela Apple Inc., na qual há um iPad maior e um conversor de TV para assistir a vídeos e jogar videogames.

A Apple está aumentando seu escopo para incluir relógios inteligentes e iPhones atualizados, ao passo que o lançamento da Amazon se foca predominantemente em dispositivos que permitem às pessoas assistir a vídeos, jogar videogames e ler e-books.

As vendas de tablets, dominadas pelas líderes do mercado, a Apple e a Samsung Electronics Co. Ltd., vêm declinando à medida que as telas dos smartphones aumentam de tamanho e diminuem a diferença entre os dispositivos.

As vendas mundiais de tablets totalizaram 44,7 milhões de unidades no segundo trimestre, uma baixa de 6,9 por cento em relação a um ano atrás, segundo a IDC.

Na semana passada, a Amazon disse que esgotou seus celulares Fire – que foram estreados em julho de 2014 e rapidamente tiveram um desconto de US$ 199 para 99 centavos de dólar – e não planeja reestocar.

As vendas ruins do celular obrigaram a Amazon a incorrer em um custo de estoque de US$ 170 milhões em outubro, contribuindo para seu pior prejuízo trimestral líquido em mais de uma década.

Novo tablet

Com um custo de US$ 50, o novo tablet Fire, de sete polegadas e com câmeras na frente e atrás, custa a metade da versão de seis polegadas lançada no ano passado e é um esforço para competir com outros dispositivos de baixo custo.

Os tablets com preços inferiores a US$ 100 constituem um segmento de crescimento rápido e uma boa forma de a Amazon atingir novos clientes, disse Limp. A empresa vende “um número muito grande” desses dispositivos a clientes que não assinam o Prime.

O serviço concorrente de streaming de vídeos Netflix é um dos aplicativos mais populares baixados nos tablets da Amazon, disse ele.

Os novos tablets estão disponíveis em pacotes de seis unidades por US$ 250. A Amazon espera que os clientes os comprem e deem usos particulares para cada um, como manter um na cozinha para fazer streaming de vídeos e outro no criado-mudo como despertador e para ler e-books.