Alphabet, do Google, divulgará balanço magro com multa da Europa

Google foi condenado na última quarta-feira à multa como conclusão de uma investigação antitruste

Quando a gigante de tecnologia Alphabet, a companhia mãe do Google, divulgar seu resultado trimestral nesta segunda-feira, todos estarão esperando algum pronunciamento da empresa sobre a multa aplicada pela Comissão Europeia na semana passada. Embora não tenha acontecido no segundo trimestre do ano, a Alphabet já registrou junto à SEC (Comissão de Trocas Mobiliárias, na sigla em inglês) que irá incluir a multa, no valor de 5 bilhões de dólares, no relatório de hoje.

O Google foi condenado na última quarta-feira à multa como conclusão de uma investigação antitruste, conduzida por legisladores europeus. Segundo a Comissão Europeia, a empresa americana força fabricantes de smartphones que usam sistema Android a adotar uma série de aplicativos próprios pré-instalados, como o navegador Chrome e a ferramenta de buscas.

Os 5 bilhões de dólares, que não são dedutíveis em impostos, devem corroer cerca de 74,4% do lucro da empresa neste trimestre, que era esperado em 6,72 bilhões de dólares — o que irá impactar severamente os ganhos por ação. É esperado que o faturamento cresça 23.7%, para 32,2 bilhões de dólares.

A dúvida que fica é como a Alphabet irá tratar a multa e falar sobre o assunto diretamente a analistas e investidores, principalmente porque parte da decisão exige que o Google deixe de requisitar a instalação dos aplicativos como padrão nos celulares que utilizam o sistema Android. A companhia já afirmou oficialmente que irá recorrer da decisão e o presidente Sundar Pichai escreveu em blog oficial na semana passada que isso “vai impactar a balança do ecossistema Android”, podendo levar a possíveis cobranças do sistema operacional, que hoje é gratuito.

É o segundo ano em que uma multa na Europa impacta os lucros da empresa, que no ano passado arcou com cerca de 2,8 bilhões de dólares num caso de truste em seu buscador. Analistas estimam que a decisão da Comissão pode impactar o trabalho da empresa na Europa, mas deve surtir pouco efeito sobre o lucro ou o crescimento da empresa no longo prazo.