AL não está satisfeita com empregos e não há avaliação, revela Bumeran

São Paulo, 26/06 (Portal EXAME) A maioria dos funcionários de empresas brasileiras (53%) não recebe qualquer tipo de avaliação, mas também não está satisfeita com o trabalho atual, estando disposta até a mudar de emprego (87%). Esses resultados fazem parte da pesquisa online feita pela Bumeran, empresa de soluções tecnológicas para a área de recursos humanos do grupo Terra. A pesquisa foi feita também Argentina, Chile, Espanha, México e Venezuela, somando 3.500 profissionais de 450 empresas.

A Bumeran fez duas perguntas, uma dirigida aos profissionais e outra às empresas. O objetivo era descobrir a freqüência da avaliação dos profissionais. O Brasil é seguido pelo México, onde os profissionais declararam nunca receber avaliação de desempenho.

Na Espanha, o resultado é oposto: 49% dos espanhóis têm seu desempenho avaliado anualmente. Na Argentina, Chile e Venezuela, a grande maioria afirma nunca receber avaliação de desempenho.

Do lado das empresas, 65% das brasileiras afirmaram nunca fazer avaliação de desempenho. Na Espanha, Venezuela e Chile, esse percentual é de 50%.

Uma análise da Bumeran mostra que a empresa avalia, mas o profissional não entende o processo como avaliação, basicamente por dois motivos: falta de clareza na avaliação, por parte das empresas; e ainda que a avaliação seja clara, o profissional não consegue ver nenhum objetivo claro ou resultado de tal avaliação. A avaliação de pessoal faz parte de uma estratégia de longo prazo. Hoje, muitas empresas têm foco no curto prazo: vencer a crise , diz o estudo (veja os resultados completos ao lado).

Expectativa e satisfação

A pesquisa de avaliação foi feita pela Bumeran após o resultado da enquete sobre expectativa e satisfação dos funcionários, que contou com 4.200 profissionais de 500 empresas no Brasil, Argentina, Chile, Espanha, México e Venezuela, e mostra que 87% dos candidatos, em todos os países pesquisados, estão dispostos a mudar de emprego durante este ano.

O Brasil apresentou a maior estatística de insatisfação com um total de 94,4% de profissionais. A Espanha, de acordo com a pesquisa, é o país em que menos profissionais pretendem mudar de emprego (71%).

Com o objetivo de apresentar um balanço das perspectivas no mercado de trabalho, a Bumeran perguntou às empresas qual a perspectiva de contratação para o ano corrente e identificou que 35% pretendem contratar, outros 35% afirmaram que contratações não estão nos planos deste ano e os outros 30% se mostraram indecisos.

Analisando as respostas de cada país, a Argentina apresenta um ano improdutivo: 54% das empresas afirmaram que não pretendem admitir funcionários. Já a Venezuela se mostrou mais otimista, com 47% das empresas afirmando que deverão contratar durante este ano.

Mais de 90% dos profissionais consideram que deveriam ganhar mais. O Chile apresentou o maior número de pessoas insatisfeitas com o salário, 98% dos profissionais consideram que deveriam ter aumento salarial. A Argentina, que apresentou o menor índice, 93% dos entrevistados acham que deveriam ganhar mais. No Brasil, 95% estão insatisfeitos com suas remunerações (leia resultados completos ao lado).