Acciona inaugura fábrica de equipamentos eólicos no Brasil

A unidade,construída na Bahia, tem capacidade para a montagem anual de 135 cubos eólicos (peças que concentram as hélices das torres geradoras de energia)

Rio de Janeiro – A Acciona Windpower, filial da espanhola Acciona, inaugurou nesta segunda-feira sua primeira fábrica de equipamentos eólicos no Brasil, que gerará 210 empregos entre diretos e indiretos, informou a empresa.

A unidade, que foi construída em Simões Filho, município do estado da Bahia, tem capacidade para a montagem anual de 135 cubos eólicos (peças que concentram as hélices das torres geradoras de energia).

Os cubos produzidos nesta fábrica serão usados pelos aerogeradores AW-3000, de 3 MW, o modelo de maior potência comercializado pela companhia.

A nova instalação foi inaugurada pelo governador da Bahia, Jacques Wagner, pelo diretor-geral da Acciona Energia, Rafael Mateo, e pelo da Acciona Brasil, José Maria Jordão.

“Esta é nossa primeira instalação no Brasil e digo primeira porque depois dessa fábrica da Bahia, haverá outra já que estamos firmemente comprometidos com nosso desenvolvimento industrial no país”, declarou Mateo durante o ato inaugural.

Por sua vez, o governador agradeceu a Acciona pela oportunidade que deu ao estado da Bahia para qualificar seus trabalhadores e criar emprego.


Segundo a Acciona, a unidade de Simões Filho conta com cerca de 30 trabalhadores, a maior parte procedentes da zona, além dos 180 empregos indiretos em empresas fornecedoras de componentes para a fábrica.

As iniciativas industriais da Acciona Windpower no Brasil propiciaram 500 empregos adicionais na fabricação dos componentes principais dos aerogeradores, como pás e torres, o que representa no total mais de 700 postos de trabalho, acrescentou a empresa no comunicado.

A fábrica de Simões Filho é a quinta no mundo da Acciona Windpower, que tem dois centros de montagem de aerogeradores na Espanha e um nos Estados Unidos, assim como uma fábrica de pás eólicas na Espanha.

A fábrica de Simões Filho faz parte da estratégia da companhia para aumentar sua presença no mercado brasileiro, onde recentemente assinou seu primeiro contrato, com a empresa CPFL Renováveis, para a provisão de 40 aerogeradores cuja potência soma 120 MW. EFE