9 recomendações para evitar rupturas no estoque

Maior inimigo do varejo é responsável por queda de 5% a 10% nas vendas

Sabe aquele momento em que o consumidor não encontra o produto que está procurando em uma loja? Na linguagem do varejo, isso se chama ruptura de estoque – mal responsável pela queda de 5% a 10% nas vendas.

E esse não é o único prejuízo. Estudos apontam que 32% dos consumidores que não acham o que buscam em uma loja vão concluir a compra em outra, muito provavelmente na concorrência.

Inspirados neste artigo do site da TOTVS, listamos nove dicas para você não errar com o estoque.

1. Compare o número de itens em falta com o total de itens normalmente vendidos na loja. O Comitê de Prevenção de Perdas da Associação Brasileira de Supermercados (Abras) estima que, para cada quatro pontos percentuais reduzidos na ruptura de um item, a loja ganhe um ponto nas vendas desse mesmo item.

2. Planeje melhor as compras. Muitas rupturas ocorrem quando a empresa não faz uma encomenda maior para produtos que possuem prazo de entrega mais dilatado.

3. Fique atento aos produtos que representam a maior parte das vendas. É importante fazer uma análise periódica da demanda para garantir que os produtos mais vendidos estejam sempre em estoque.

4. Considere as sazonalidades. Monitore a sua operação para não perder picos de venda por atrasos nos pedidos ou nas entregas do fornecedor.

5. Inclua a ocorrência de rupturas em seu histórico de vendas. Se ela não for considerada no cálculo de demanda, o erro tenderá a se repetir.

6. Agilize a reposição de produtos nas gôndolas e redobre a atenção na checagem de prateleiras e estoques. Essa é também uma forma eficiente de evitar que o consumidor não encontre o que procura.

7. Interligue informações. A integração de dados de todos os setores, desde a frente de loja até centro de distribuição, é fundamental para que não haja divergências de informações entre o controle de estoque e a demanda dos consumidores.

8. Invista em tecnologia. Muitos supermercados ainda trabalham sem um sistema integrado de gestão para sincronizar dados, controlar vendas com mais rigor, estimar melhor a demanda e monitorar o nível do estoque com mais precisão. Um ERP robusto e bem integrado pode reduzir muito as chances de haver faltas no estoque. Além disso, ele pode ser usado para registrar queixas dos clientes sobre falta de produtos, acionando um alerta para a ruptura daqueles itens.

9. Pesquise soluções no mercado. Muitas tecnologias que facilitam a gestão e oferecem resumos dos principais números da operação, inclusive do estoque, têm preços acessíveis mesmo para micro e pequenas empresas.

Para saber mais sobre as soluções para ruptura de estoque, clique aqui.