3M quer saber o que os brasileiros querem – para ganhar dinheiro com isso

Meta da companhia é fazer com que 40% de sua receita no Brasil seja gerada com a venda de inovações

São Paulo – Em outubro, a 3M vai inaugurar um laboratório de inovação no Brasil, no interior paulista, mais amplo do que o que a empresa já possuía, e com uma finalidade muito bem desenhada: atender mais empresas, universidades e consumidores brasileiros interessados em dizer à companhia no que ela pode facilitar suas vidas – e a vida de seus negócios. Esse contato já acontece no Brasil, bem como fora dele, mas deve se intensificar. A intenção é elevar o número de atendimentos por ano de 5.500 para 7.000.

A companhia intensificou os trabalhos de renovação e pesquisa de desenvolvimento no Brasil nos últimos três anos. Nessa época, a empresa avaliou todo seu portfólio de produtos vendidos no país para selecionar as marcas que mais faziam sucesso de vendas e rentabilidade por aqui – para se ter ideia, a 3M conta com 50.000 itens no mundo e 20.000 no Brasil. A partir disso, a 3M decidiu apostar na recriação e desenvolvimento desses itens.

Como resultado, a companhia teve 28% de seu faturamento do ano passo provenientes desses produtos – e conquistou a liderança do setor de química e petroquímica de Melhores e Maiores de EXAME. “Nossa intenção é elevar de 30% para 40% a receita brasileira da companhia proveniente de novos produtos, desenvolvidos no Brasil e fora”, afirmou José Varela, presidente da 3M no Brasil, durante o evento de Melhores e Maiores de EXAME.

Até 2016, a 3M prevê investir 2 bilhões de reais, dos quais 1,6 bilhão de reais serão destinados a ampliação de fábricas e armazéns da empresa no país e os outros 400 milhões de reais serão aplicados em laboratórios de pesquisa, parte fundamental dos negócios da companhia.