3G Capital acerta compra do Burger King por US$3,26 bi

A transação deve ser fechada no último trimestre do ano

Nova York – O Burger King, segunda maior rede de fast-food dos Estados Unidos, firmou acordo para ser vendido para a 3G Capital por 24 dólares por ação, ou cerca de 3,26 bilhões de dólares.

A 3G Capital tem entre os sócios os brasileiros Jorge Paulo Lemann, Carlos Alberto Sicupira e Marcel Telles, que estão entre os principais acionistas da AB InBev, maior cervejaria do mundo e que controla a AmBev.

O acordo representa um prêmio de 46 por cento sobre o preço da ação do Burger King antes da notícia do acordo surgir na quarta-feira, afirmaram as empresas.

Incluindo a dívida que a 3G assumirá, o valor do negócio sobe para 4 bilhões de dólares. A transação deve ser fechada no último trimestre do ano.

TPG Capital LP , Goldman Sachs Capital Partners e Bain Capital Investors possuem conjuntamente cerca de 31 por cento das ações do Burger King e colocaram seus papéis à disposição da oferta, que deve começar em 17 de setembro.

O Burger King vem perdendo espaço para o McDonald’s e outros concorrentes de fast-food, uma vez que sua base principal de consumidores foi mais afetada pelas taxas altas de desemprego nos EUA.

Na semana passada, a empresa previu demanda fraca durante seu novo ano fiscal devido ao ritmo menor de recuperação econômica nos EUA e a programas de austeridade fiscal de governos em diversos países da Europa.

Analistas afirmaram que era um momento oportuno para a empresa fechar seu capital, quatro anos depois que o Burger King abriu seu capital com uma oferta a um preço de 17 dólares por ação.

Às 11h49 (horário de Brasília), as ações do Burger King negociadas em Nova York avançavam mais de 24 por cento, para 23,41 dólares, depois de terem subido perto de 15 por cento na véspera.

Leia mais notícias sobre aquisições

Acompanhe as notícias de negócios do site EXAME no Twitter