370 mil clientes fazem processo contra Volkswagen na Alemanha

Em 2015, a empresa admitiu ter manipulado 11 milhões de veículos, sendo 2,4 milhões deles vendidos na Alemanha

Mais de 370.000 proprietários de automóveis Volkswagen equipados com motores manipulados se uniram ao processo contra a gigante automobilística na Alemanha em um mês – informou o Gabinete Federal de Justiça nesta quinta-feira (3).

Exatamente 372 mil donos de automóveis tinham se inscrito em 2 de janeiro de 2019 no registro aberto desde o fim de novembro, informou à AFP um porta-voz do organismo.

A associação alemã de consumidores VZBV deu entrada com esta ação na Justiça em novembro passado no tribunal de Brunswick, a poucos quilômetros da sede da Volkswagen.

Em 2015, a empresa admitiu ter manipulado 11 milhões de veículos – 2,4 milhões deles vendidos na Alemanha.

A associação foi criada quando entrou em vigor um novo procedimento jurídico coletivo criado após o escândalo do “dieselgate”. O procedimento deveria dar lugar a um primeiro grande julgamento iniciado por consumidores no contexto deste escândalo.

O objetivo dos demandantes é demostrar que a Volkswagen prejudicou deliberadamente seus clientes mediante a instalação de softwares que faziam o veículo parecer menos poluente do que de fato era. Por isso, os demandantes exigem uma indenização por danos e prejuízos.

Uma decisão positiva do tribunal sobre o princípio de compensação abriria caminho para processos individuais de indenização financeira por parte da fabricante.

A Volkswagen afirma desde o começo que este processo “não tem fundamentos”.