Zuckerberg vai defender Facebook no Congresso dos EUA em 23 de outubro

CEO da rede social testemunhará no Comitê de Serviços Financeiros, enquanto a empresa enfrenta forte oposição dos legisladores norte-americanos

Washington — O presidente-executivo da Facebook, Mark Zuckerberg, testemunhará perante o Comitê de Serviços Financeiros da Câmara dos Estados Unidos em 23 de outubro, enquanto a empresa enfrenta crescente escrutínio dos legisladores norte-americanos.

Zuckerberg testemunhará na audiência “Um exame do Facebook e seu impacto nos setores de serviços financeiros e habitação”. Será sua primeira aparição diante de um comitê do Congresso dos EUA desde abril de 2018, embora no mês passado ele tenha estado no Capitólio para reunão particular com alguns parlamentares.

O Facebook surpreendeu reguladores e legisladores em junho com o anúncio de que esperava lançar uma moeda digital chamada libra em 2020.

Os parlamentares e agências reguladoras financeiras nacionais e estrangeiras estão preocupados com o efeito no sistema financeiro global provocando pela ampla adoção da libra pelos 2,38 bilhões de usuários da rede social.

“Os planos do Facebook levantam sérias preocupações sobre privacidade, comércio, segurança nacional e política monetária, não apenas para mais de 2 bilhões de usuários que terão acesso imediato a esses produtos, mas também para consumidores, investidores e a economia global”, disse a presidente do comitê, Maxine Waters, em uma audiência sobre a libra em julho.

Waters pediu ao Facebook para interromper a implementação da criptomoeda até que os reguladores e o Congresso possam aprovar uma estrutura legal.

O Facebook confirmou que Zuckerberg testemunhará.