Zawahri promete que Al Qaeda libertará presos de Guantánamo

Grupo disse em áudio divulgado na internet que não poupará esforços para libertar detentos em greve de fome

Dubai – O líder da Al Qaeda, Ayman al-Zawahri, criticou firmemente o tratamento dado pelos Estados Unidos aos detentos que estão em greve de fome em Guantánamo, e disse que o grupo não poupará esforços para libertá-los, de acordo com uma gravação de áudio divulgada nesta quarta-feira na Internet.

“A greve (de fome) dos nossos irmãos em Guantánamo desmascara o verdadeiro rosto feio da América”, disse Zawahri em uma gravação de áudio divulgada em um site islâmico, cuja autenticidade não pôde ser verificada.

“Prometemos a Deus que não pouparemos esforços para libertar todos os nossos prisioneiros, entre os quais Omar Abdel Rahman, Aafia Siddiqui, Khaled Sheikh Mohammed e todos os muçulmanos oprimidos em toda parte…”, acrescentou, referindo-se a militantes islâmicos proeminentes detidos nos Estados Unidos.

Zawahri não deu mais detalhes sobre o que a Al Qaeda pretende fazer, mas no passado os militantes sequestraram ocidentais e tentaram trocá-los por companheiros presos.

A Al Qaeda também assumiu a responsabilidade por ataques simultâneos em duas prisões iraquianas, na semana passada, em que disseram que mais de 500 presos foram libertados. E, no Paquistão, o Taliban libertou 250 prisioneiros de uma prisão na terça-feira.