Zanini aceita ser vice de Scioli para eleições argentinas

Em declarações ao jornal La Nación, Scioli confirmou que Zanini aceitou ser seu companheiro de chapa e destacou que sua escolha é "coerente" com sua trajetória

Buenos Aires – Carlos Zanini, secretário Técnico e Legal da Argentina e homem chave do kirchnerismo, aceitou ser o candidato a vice-presidente na chapa presidencial do governador da província de Buenos Aires, Daniel Scioli, para as eleições de outubro, informou nesta quarta-feira a imprensa local.

Em declarações ao jornal “La Nación”, Scioli confirmou que Zanini aceitou ser seu companheiro de chapa e destacou que sua escolha é “coerente” com sua trajetória.

“Falei com ele e me disse que era um orgulho acompanhar o vice-presidente de Néstor Kirchner”, esclareceu o governador da província de Buenos Aires, que ocupou a vice-presidência durante o governo de Kirchner (2003-2007).

Zanini, atual titular da Secretaria Técnica e Legal é um dos colaboradores mais próximos de Cristina Kirchner e homem chave dentro do kirchnerismo.

Scioli, que segundo as pesquisas é o mais bem colocado para suceder Cristina Kirchner na Casa Rosada, tinha anunciado ontem em entrevista seu desejo de ter Zanini como vice.

O anúncio foi uma estratégia que reforça sua identificação com o projeto kirchnerista e aumenta a tensão com o outro pré-candidato a presidência dentro do governo, o ministro de Interior e Transporte, Florencio Randazzo, que ainda não anunciou quem será seu vice.

Por enquanto, Cristina Kirchner não manifestou se apoiará Scioli ou Randazzo nas primárias.

Os partidos políticos têm prazo até a meia-noite do próximo sábado para inscreverem na justiça eleitoral os pré-candidatos que concorrerão às primárias de 9 de agosto, que definirão quem disputará as eleições gerais de outubro.