Xi Jinping está otimista com reuniões entre Kim e Trump

Presidente da China agradeceu o governo sul-coreano por mandar enviado especial para informá-lo das recentes visitas de Chung à Coreia do Norte e aos EUA

Pequim – O presidente da China, Xi Jinping, recebeu nesta segunda-feira em Pequim Chung Eui-yong, enviado do presidente sul-coreano, Moon Jae-in, que manifestou o desejo de que tanto a reunião entre as duas Coreias quanto a da Coreia do Norte com os Estados Unidos sejam positivas.

Xi se mostrou esperançoso para um progresso substancial no processo de desnuclearização da Península da Coreia e que haja uma normalização das relações entre as partes envolvidas, segundo a agência oficial “Xinhua”. O presidente da China também agradeceu o governo sul-coreano por mandar um enviado especial para informá-lo das recentes visitas de Chung à Coreia do Norte e aos Estados Unidos para facilitar as conversas.

Chung viajou a Pyongyang com Suh Hoon, diretor do Serviço Nacional de Inteligência da Coreia do Sul, para debater futuras cúpulas, e depois foi para Pequim, enquanto Suh foi para Tóquio para se reunir com o primeiro-ministro, Shinzo Abe. Embora não esteja previsto que China ou Japão participem de forma direta das conversas no alto nível, o papel de ambos os países é essencial para enfrentar o diálogo com a Coreia do Norte, por serem, respectivamente, o principal aliado de Pyongyang e um parceiro estratégico dos Estados Unidos na região.

Hoje, o enviado de Seul também se reuniu com o ministro de Relações Exteriores chinês, Wang Yi. Em comunicado publicado no site deste ministério, Wang destacou que o fato de Xi ter se reunido com Chung na Assembleia Nacional Popular “reflete a firme determinação da parte chinesa em manter a paz e a estabilidade na península” coreana.

Chung, por sua vez, afirmou que “a situação na Península da Coreia experimentou mudanças importantes recentemente e a China teve um papel importante neste sentido”.

“A Coreia do Sul se compromete a promover a desnuclearização da península e a solução política do problema da península mediante o diálogo e a consulta”, acrescentou, enfatizando que Seul espera que “a China continue desempenhando um papel ativo” no processo.