Washington não processará jornalista que divulgou documentos

"Todo jornalista envolvido em verdadeiras atividades jornalísticas não será processado pelo Departamento de Justiça", disse procurador-geral dos Estados Unidos

Washington – O governo dos Estados Unidos não pretende processar o jornalista Glenn Greenwald, que denunciou a espionagem cibernética americana com documentos repassados pelo ex-analista de inteligência Edward Snowden, afirmou o procurador-geral do país, Eric Holder.

“A menos que receba alguma informação que desconheço, o que disse em minha audiência no Congresso é que todo jornalista envolvido em verdadeiras atividades jornalísticas não será processado pelo Departamento de Justiça”, declarou Holder ao jornal The Washington Post.

O americano Greenwald, que mora no Rio de Janeiro, publicou no jornal britânico The Guardian reportagens sobre a espionagem de Washington, depois de receber documentos obtidos por Snowden, ex-consultor da Agência de Segurança Nacional (NSA) e agora refugiado na Rússia.

“Não concordo com nada do que Greenwald fez”, reconheceu Holder.

“De alguma forma confunde a linha entre advogado e jornalista. Mas com base no que conheço, não acredito que exista uma base para demandar Greenwald”.

O jornalista ficou satisfeito com as declarações do procurador-geral, mas disse manter a prudência porque até agora temia ser detido a qualquer momento e julgado em seu país.

“É um passo positivo que o procurador-geral reconheça expressamente que o jornalismo não é e nem deveria ser um crime nos Estados Unidos, mas com os precedentes deste governo sobre o baixo nível de liberdade de imprensa, consultarei meu advogado para saber se posso confiar neste tipo de declaração sobre as intenções do governo”, afirmou ao Washington Post.