Virgínia declara estado de emergência após confrontos em marcha

Segundo a polícia, prisões foram realizadas após a prefeitura da cidade declarar a ilegalidade da marcha

São Paulo – A marcha “Unir a direita” marcada por supremacistas brancos neste sábado, 12, na cidade de Charlottesville, na Virgínia, nos EUA se tornou violenta rapidamente e a polícia tentou dispersar os manifestantes. O governador do estado americano declarou emergência para conter a escalada de violência, que deixou diversos feridos.

Segundo a polícia estadual, prisões foram realizadas após a prefeitura da cidade declarar a ilegalidade da marcha, que protesta contra a retirada da estátua do general Robert E Lee, comandante das forças escravocratas durante a Guerra Civil.

De acordo com informações da CNN, o confronto começou quando os manifestantes chegaram ao parque da cidade e encontraram com outros grupos de manifestantes contrários à marcha.

Entre os integrantes da ‘Unir a direita”, havia membros de milícias armados. Segundo o jornal New York Times, eles gritavam frases como “Vocês não vão nos substituir” e “Judeus não vão nos substituir”.