Ministro da Grécia renuncia após polêmica nas redes sociais

Kammenos disse que irá entrar com uma ação judicial contra "pessoas desconhecidas" por supostamente terem hackeado suas contas no Twitter e no Facebook

Atenas – O novo governo da Grécia sofreu sua primeira crise na quarta-feira, com o vice-ministro de Transportes, Dimitris Kammenos, sendo forçado a renunciar devido a uma polêmica sobre postagens em redes sociais que ele supostamente escreveu.

Em um dos mandatos mais curtos em um governo grego nos últimos anos, Kammenos, membro do pequeno partido da coalizão, Gregos Independentes, renunciou em meio a uma investigação sobre uma série de tuítes antissemitas e homofóbicos postados online nos últimos meses e anos.

Em um comunicado, Kammenos disse que irá entrar com uma ação judicial contra “pessoas desconhecidas” por supostamente terem hackeado suas contas no Twitter e no Facebook, acrescentando que a unidade da polícia grega de crimes cibernéticos investigou seus perfis online mas “não encontrou nada”. Ele também afirmou que diversos assessores administraram suas contas nas redes sociais.

Kammenos tomou o cargo junto ao gabinete do primeiro-ministro da Grécia, Alexis Tsipras, apenas 12 horas antes de renunciar.

Tsipras pediu ao líder do partido Gregos Independentes para retirar Kammenos de suas funções, caso as mensagens que aparecem na nova conta do então vice-ministro sejam autênticas, uma autoridade do governo afirmou.

O membro do Parlamento, Panagiotis Sgouridis, também do partido Gregos Independentes, assumirá o cargo de Kammenos.