Venezuela quer estatizar operações de petróleo

Segundo<EM> The Wall Street Journal</EM>, equipe de Hugo Cháve<SPAN>z</SPAN> estaria planejando a revisão de contratos com multinacionais

O sentimento nacionalista que toma conta das ruas da Bolívia há quatro meses parece ter estimulado também o governo venezuelano. O presidente Hugo Chávez tem feito críticas à forma como as empresas de petróleo no país são administradas. Segundo ele, é preciso tornar mais difícil a entrada do capital estrangeiro.

Indícios de uma política mais nacionalista já têm sido observados, de acordo com o jornal The Wall Street Journal. Especialistas do setor de petróleo, conhecidos por defenderem uma economia fechada, ocupam cargos importantes no governo. Eles estariam ajudando o presidente Chavez a criar uma nova política para o setor, incluindo a revisão de contratos com multinacionais e o aumento de royalties e impostos.

Segundo o ministro da energia, Rafael Ramírez, a Venezuela precisa “recuperar sua soberania”. Uma das propostas é converter cerca de 32 contratos com empresas privadas em parcerias com o governo. Dessa forma, a Venezuela poderia exercer o controle das operações no país.

Na Bolívia, uma série de protestos a favor da estatização dos serviços de gás obrigaram o presidente Carlos Mesa a renunciar ao cargo, na semana passada, sendo subsituído interinamente pelo presidente da Suprema Corte, Eduardo Rodriguez.