Venezuela denuncia aliança de extrema direita no Mercosul

Segundo a Venezuela, o Brasil, a Argentina e o Paraguai tentam dificultar sua presidência no bloco

Caracas – O governo da Venezuela denunciou nesta terça-feira o que considera “maquinações” de uma “tríplice aliança” da “extrema direita” do sul do continente, formada por Argentina, Brasil e Paraguai, para tentar dificultar sua presidência pró témpore do Mercosul, que assumiu apesar da oposição desses países.

A Venezuela, “em pleno exercício” da presidência pró témpore do Mercosul, “denuncia as maquinações da extrema direita do sul do continente, formada por uma nova Tríplice Aliança, que vem agindo de maneira mal intencionada, através de manobras ilícitas, para tentar dificultar o que por Direito lhe corresponde”, afirmou a Chancelaria venezuelana em comunicado.

O governo venezuelano reiterou que o país exerce a presidência do bloco “legalmente” desde 29 de julho e, nesse sentido, rejeitou “a invenção de uma fraudulenta” tese de um vazio na mesma.