Vaticano suspende trabalho de auditoria financeira

O Vaticano disse que a suspensão se deve ao "surgimento de elementos que afetam o significado e o alcance de algumas cláusulas do contrato"

Cidade do Vaticano – O Vaticano suspendeu o contrato com uma empresa de auditoria que era encarregada de revisar suas finanças, mas negou nesta terça-feira que isto se deva a uma tentativa “de um ou mais entes da Santa Sé para bloquear as reformas em curso”.

“A suspensão das atividades de revisão não se deve a considerações sobre a integridade e a qualidade do trabalho iniciado pela (a auditora) Pricewaterhousecoopers (Pwc) ou à vontade de um ou mais entes da Santa Sé de bloquear as reformas em curso”, esclareceu hoje o Vaticano em comunicado.

O Vaticano disse que a suspensão se deve ao “surgimento de elementos que afetam o significado e o alcance de algumas cláusulas do contrato e sua modalidade de execução”.

Por essa razão, o Vaticano garantiu que “ditos elementos sejam submetidos aos necessárias aprofundamentos”, apesar de não ter revelado a natureza destes elementos que conduziu a suspender o trabalho de Pwc.

“A decisão de proceder deste modo foi adotada após realizar as consultas apropriadas entre as instâncias competentes e especialistas na matéria”, afirmou a Santa Sé, que espera que “esta fase de reflexão e estudo possa ser realizado em um clima de serenidade e reflexão”.

“O compromisso de uma adequada atividade de revisão econômica-financeira para a Santa Sé e para o Estado da Cidade do Vaticano continua sendo prioritário”, fundação a nota.

Em 5 de dezembro o Vaticano anunciou que tinha encarregado à empresa auditora internacional Pwc a revisão externa de suas contas financeiras em estreita colaboração com a Secretaria para a Economia do Vaticano.

Esta última instituição vaticana foi criada pelo papa Francisco no 24 de fevereiro e tem como objetivo dar credibilidade e transparência às contas e às propriedades da Santa Sé.