Vaticano solta ativista do Femen, mas veta entrada no Estado

Ucraniana entrou na Praça de São Pedro, com a frase '++God++ is woman' ('Deus é mulher') escrita no tronco, enquanto o papa lia sua mensagem de Natal

Cidade do Vaticano – A Gendarmaria vaticana pôs em liberdade neste sábado a ativista do grupo feminista Femen que no dia de Natal invadiu a Praça de São Pedro de topless quando o papa Francisco dava sua bênção ‘Urbi et Orbi’ (À cidade e ao mundo) e tentou roubar a estátua do menino Jesus do presépio montado ali.

Segundo o porta-voz do Vaticano, Federico Lombardi, a manifestante já está em liberdade, mas teve o acesso ao ‘Estado da Cidade do Vaticano’ proibido.

Iana Zhdanova, ucraniana, entrou na Praça de São Pedro, com a frase ‘++God++ is woman’ (‘Deus é mulher’) escrita no tronco, enquanto o papa lia sua mensagem de Natal na sacada central da basílica.

Enquanto gritava slogans contra a Igreja Católica, ela conseguiu subir até o presépio montado na praça e pegar o Menino Jesus, mas foi detida por um policial quando escapava.

Não é a primeira vez que uma simpatizante de Femen protesta no Vaticano.

Em 14 de novembro três manifestantes do movimento foram até a praça vaticana, também com os seios de fora, mas para protestar contra a visita do papa Francisco ao parlamento Europeu em Estrasburgo.

Femen é uma organização feminista de origem ucraniana fundada em 2008. EFE