Último urso polar da África sofre pela morte de companheira

Wang estraçalhou brinquedos e a grama do espaço que dividiam no zoológico, e duas semanas depois da perda, ele ainda continuava triste

Joanesburgo – Wang, o único urso polar vivendo na África, sofreu muito com a morte de sua parceira de longa data. Ele estraçalhou brinquedos e a grama do espaço que dividiam no zoológico, e duas semanas depois da perda, ele ainda continuava triste.

Geebee, de 30 anos, foi encontrada morta em 13 de janeiro num laguinho em sua cela do zoológico de Johanesburgo depois de um ataque cardíaco. Os dois eram parceiros desde que chegaram ao zoo sul-africano em 1985 – na época, cada um tinha apenas 1 ano de idade.

“Quando nós a encontramos morta, ele não nos deixava chegar perto”, disse à Reuters a chefe do zoo, Katja Koeppel, nesta sexta-feira. “Ele se recusou a voltar para o seu compartimento coberto. Ficou fora, ao sol.” Quando não estava andando em volta, Wang ficava ao lado do corpo de Geebee e mal comia suas rações, disse ela. Depois de 24 horas, Katja teve de sedar Wang para poder retirar os restos de Geebee.

Nos dias seguintes, ele estava inconsolável, quebrou seus brinquedos e até mesmo curvou a porta de aço de seu cercado, disse ela.

Nesta sexta-feira, Wang aninhou a cabeça sob suas gigantescas patas da frente, como se estivesse tentando deixar o mundo de fora. De vez em quando ele levantava a cabeça para farejar o ar.

“Ele está começando a entrar em acordo consigo mesmo”, disse Katja.