UK quer punir abuso psicológico de menores pelos pais

Crueldade emocional para com menores de idade deveria ser punida, por isso o governo estuda a aprovação de uma legislação que a tipifique como crime

Londres – O governo britânico analisa punir os pais que abusarem psicologicamente de seus filhos e não lhes derem o carinho e a atenção necessários, após uma forte campanha de uma organização que defende os direitos da criança e do adolescente.

Segundo o governo informou nesta segunda-feira, a crueldade emocional para com menores de idade deveria ser punida, por isso o governo estuda a aprovação de uma legislação que a tipifique como crime.

O plano responde à campanha denominada “Lei Cinderela”, defendida pela organização beneficente “Action for Children”, cujo diretor, Tony Hawkhead, disse hoje que iniciar o plano seria “um passo monumental para milhares de crianças”.

Os assistentes sociais viram casos de crueldade com crianças, mas é muito difícil reunir provas suficientes e, sobretudo, porque essas atitudes ainda não são consideradas crimes.

O deputado conservador Robert Buckland, que apoia a campanha da “Action for Children”, disse hoje que o abuso psicológico causa um “grande prejuízo” nos pequenos.

Entre os comportamentos observados, acrescentou Buckland, estão ignorar a presença da criança, não estimulá-la e assustá-la até o ponto em que a criança tenha medo de contar algo a seus pais.

Além disso, seria considerado crime “isolá-las, menosprezá-las, repelí-las e, também, levá-las a comportamento antissocial ou criminoso”, disse o deputado.

O objetivo da proposta é punir pais que “prejudicarem consideravelmente” seus filhos, “em vez de educá-los e amá-los”, declarou Buckland à emissora “BBC”.

O plano é incorporar o novo crime à Lei de Crianças e dos Adolescentes, que pune pais que causam dano físico a seus filhos.

Assim, um pai pode ser processado por impedir o “desenvolvimento físico, intelectual, emocional e social” de seu filho.

Segundo os veículos de imprensa britânicos, o governo espera aprovar a nova medida antes das próximas eleições gerais, previstas para maio do próximo ano.

Nos últimos anos foram denunciados vários casos no Reino Unido de abusos físicos de pais a seus filhos, que em muitos casos obriga os serviços sociais a intervir e retirá-los de seu entorno familiar.