UE não vai reabrir acordo do Brexit com novo premiê britânico, diz Juncker

"Não é um tratado entre May e Juncker, é um tratado entre a UE e o Reino Unido", disse o presidente da Comissão Europeia

Bruxelas — O acordo de separação entre a União Europeia e o Reino Unido não mudará com a chegada de um novo primeiro-ministro a Londres, disse o chefe do Executivo da UE nesta terça-feira.

O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, reiterou a recusa do bloco em renegociar agora que muitos dos candidatos do Partido Conservador que disputam o cargo da premiê Theresa May estão dizendo que buscarão um novo acordo.

“Há meses estou com a impressão de que o interesse da sociedade política britânica é como substituir a primeira-ministra May, não como chegar a um acordo com a UE”, disse Juncker sete meses depois de May firmar um pacto com o bloco, mas fracassar em obter a ratificação do Parlamento em casa.

“Não é um tratado entre Theresa May e Juncker, é um tratado entre a UE e o Reino Unido. Ele tem que ser respeitado por quem quer que seja o próximo primeiro-ministro… não haverá renegociação.”

Ele rejeitou estabelecer um prazo de validade para o backstop – uma apólice de seguro para a fronteira irlandesa que é um ponto de atrito do processo de desfiliação.

Mais cedo se pediu que a Comissão Europeia comentasse uma promessa de Boris Johnson, o favorito à sucessão de May, de reter bilhões de um passivo que deveria ser direcionado ao orçamento da UE.

 

 

“Todos sabem o que está na mesa. O que está na mesa foi aprovado por todos os Estados-membros, e a eleição de um novo primeiro-ministro não mudará os parâmetros”, disse o porta-voz Margaritis Schinas.

Indagado novamente sobre Johnson em um evento em Bruxelas, Juncker — que deixa o cargo em 31 de outubro, o novo prazo do Brexit — reiterou que o acordo não pode ser alterado e se recusou a especular sobre quem pode suceder May.