UE multa fabricantes de telas LCD por formação de cartel

Seis empresas asiáticas foram acusadas de combinar preço dos produtos e terão que pagar multa de € 648,9 milhões

Bruxelas – A Comissão Europeia (órgão executivo da União Europeia) multou nesta quarta-feira em 648,9 milhões de euros cinco fabricantes de telas de cristal líquido (LCD) por formação de cartel junto a uma sexta empresa, anunciou o comissário da UE para Assuntos Econômicos, Joaquín Almunia.

As companhias multadas foram a coreana LG Display e as taiwanesas AU Optronics, Chimei InnoLux Corporation, Chunghwa Picture Tubes e Hannstar Display Corporation.

A Samsung Electronics, que tinha sido incluída na investigação, livrou-se da multa por ter sido a primeira companhia a fornecer informação sobre o cartel à comissão reguladora.

Embora todas estas empresas estejam baseadas fora da Área Econômica Europeia (EEA) e tenham organizado o cartel fora das fronteiras da UE, “os preços que pactuaram corresponderam a bens vendidos no mercado europeu”, destacou Almunia em entrevista coletiva nesta quarta-feira.

Segundo a Comissão Europeia, durante quatro anos as seis companhias pactuaram os preços de seus produtos, trocaram informação sobre seus planos de produção e as capacidades de suas instalações, assim como sobre outras condições comerciais.

As seis companhias formaram um cartel “muito organizado”, ao estruturar seus contatos em reuniões mensais realizadas em hotéis taiwaneses, revelou o órgão executivo da UE.

As reuniões foram “claramente ilegais” segundo as regras de concorrência da UE, e as provas das quais a Comissão Europeia dispõe revelam que os participantes “tinham consciência disso”, ressaltou Almunia.

Os acordos entre as companhias tiveram “um impacto direto” sobre os consumidores europeus, já que a maioria dos televisores, monitores de computador e outras variedades de dispositivos eletrônicos incorporam telas LCD produzidas na Ásia, acrescentou.

A maior multa foi imposta a Chimei InnoLux Corporation, que terá que pagar 300 milhões de euros.

A coreana LG deverá pagar 215 milhões de euros, após beneficiar-se de uma redução da multa de 50% graças à sua cooperação com a investigação, enquanto a AU Optronics foi multada em 116,8 milhões após ter uma redução de 20% desse valor, pois também colaborou.

As outras duas companhias, as taiwanesas Hannstar Display Corporation e Chunghwa Picture Tubes, terão que pagar 8,1 milhões e 9,02 milhões de euros respectivamente, embora a multa desta última também tenha sido reduzida em 5% devido à sua colaboração com as investigações.

Segundo Almunia, as vendas totais das companhias ultrapassaram os 7 bilhões de euros durante os quatro anos em que durou o cartel, valor que a Comissão Europeia levou em conta na hora de calcular as multas.