UE e Reino Unido vão negociar acordo sobre o Brexit nos próximos meses

O negociador-chefe europeu, Michel Barnier, afirmou que as negociações entram no período final e que elas estão acontecendo de forma contínua

Bruxelas – A União Europeia (UE) e o Reino Unido vão negociar “de forma contínua” um acordo sobre o “Brexit“, que deve estar pronto para outubro ou “início de novembro” a fim de evitar uma saída desordenada desse país do bloco comunitário, informou nesta terça-feira o negociador-chefe europeu, Michel Barnier.

“As negociações entram agora nos períodos finais. Negociaremos de forma contínua a partir de agora”, indicou Barnier em entrevista coletiva depois de se reunir em Bruxelas com o ministro britânico para o “Brexit”, Dominic Raab.

O negociador da UE também confirmou que terá reuniões regulares com Raab para “fazer balanço e impulsionar as negociações”.

Barnier e Raab tiveram um encontro na sede da Comissão Europeia, onde hoje e amanhã as equipes de ambas as partes realizam uma rodada de trabalho técnico.

A agenda se centra fundamentalmente em três aspectos: a fronteira entre a Irlanda e a província britânica da Irlanda do Norte, o acordo de retirada (no qual Barnier confirmou que falta fechar assuntos como a proteção das indicações geográficas) e a declaração política da futura relação.

Os dois políticos defenderam a necessidade de encontrar soluções “pragmáticas” a fim de contar com um acordo para a saída do Reino Unido da UE no próximo dia 30 de março.

Barnier disse que ambos tentam avançar em um fundo comum para o acordo, apesar de as propostas do governo britânico baseadas em seu livro branco se chocarem com as diretrizes de negociação dos europeus.

Por outro lado, reconheceu que há pontos em comum, como o interesse pela segurança e a política de Defesa.

Raab, por sua vez, insistiu na “importância” de manter dentro de “um mesmo pacote” assuntos como a fronteira norte-irlandesa e a futura relação.

“Concordamos em nos reunir regularmente”, confirmou o ministro britânico, que afirmou que voltará a Bruxelas na próxima semana e concordou com Barnier quanto a ser preciso apelar ao pragmatismo “para conseguir um acordo” em outubro.